O vice-prefeito de Goiânia foi selecionado pela Embaixada americana como um dos líderes políticos promissores do Brasil

Agenor Mariano junto com Iris Rezende iris e agenor _ ph

Na década de 1960, depois de ler uma reportagem da revista “Realidade” — “Nasce um líder” era seu título —, autoridades do governo dos Estados Unidos convidaram Iris Rezende, então prefeito de Goiânia, para visitar o país. O líder aceitou o convite e passou 45 dias no país de Franklin Roosevelt e Lyndon Johnson. Agora, o governo americano, por intermédio do programa Jovens Lideranças Políticas, que está completando 75 anos, convidou o vice-prefeito de Goiânia, Agenor Mariano (PMDB), para ficar 20 dias nos States.

Agenor Mariano | Fernando Leite
Agenor Mariano | Fernando Leite

O governo americano pesquisa, mundo afora, líderes políticos jovens que estão se destacando e, depois de fazer uma seleção, leva alguns para conhecer os Estados Unidos. Trata-se de uma política de boa vizinhança e uma forma de reduzir os preconceitos contra o país do presidente Barack Obama. O que se quer mostrar é a pujança tanto da economia quanto da democracia americana (que tanto encantou o jurista e historiador francês Alexis de Tocqueville, no século 19, e a filósofa alemã Hannah Arendt, no século 20).

Os jovens são levados para conversar com políticos do país — republicanos e democratas —, para jantar com uma típica família americana e para conhecer as melhores universidades. O governo dos Estados Unidos avalia que os jovens vão se destacar nos próximos dez anos e, por isso, os convida para conhecer o modo de vida americano.

Agenor Mariano e outros quatro convidados (deputados federais de São Paulo e Ceará, a vice-prefeita de Belém) são os convidados. “Sou o mais velho da turma”, frisa Agenor. Ele tem 41 anos. “Nós teremos três intérpretes à disposição.”

Vice-prefeito de Goiânia, Agenor Mariano | Jornal Opção
Vice-prefeito de Goiânia, Agenor Mariano | Jornal Opção

O primeiro contato foi feito pelo adido cultural da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. “Eu estava na prefeitura, substituindo o prefeito, que estava viajando, quando fui contatado. O adido continuou a fazer contato comigo. Ele contou que cinco entre 50 pessoas seriam selecionadas para visitar os EUA. Depois, estive na Embaixada, em Brasília. O que mais pesou, é lógico, é o fato de eu ser vice-prefeito de Goiânia e, ao mesmo tempo, expor minhas ideias com firmeza”, diz Agenor Mariano. “Eles sugeriram que tenho ‘representatividade’.” Além de político, ele é empresário. O vice-prefeito será levado para atividades em Los Angeles, Chicago e Nova York.