Governo aposta que poderá eleger os prefeitos de Goiânia, Aparecida e Anápolis

Giuseppe Vecci, Fernando Cunha Neto, Ozair José e Alcides Ribeiro: nomes fortes em Goiânia, em Anápolis e, os dois últimos, em Aparecida de Goiânia. Tucanato é consistente nas 3 cidades

Giuseppe Vecci, Fernando Cunha Neto, Ozair José e Alcides Ribeiro: nomes fortes em Goiânia, em Anápolis e, os dois últimos, em Aparecida de Goiânia. Tucanato é consistente nas 3 cidades

Pela primeira vez nos últimos anos, os luas azuis do governismo apostam que, finalmente, poderão eleger o prefeito de Goiânia, de Aparecida de Goiânia e em Anápolis, em 2 de outubro deste ano.

Em Goiânia, apesar de liderar as pesquisas de intenção de voto, Iris Rezende é mal avaliado nas pesquisas qualitativas. Sua liderança é tida como inercial, quer dizer, os eleitores ainda não sabem quais serão os outros candidatos e, por isso, não têm como avaliá-los com precisão. O peemedebista é visto como aquele candidato que, embora tido como forte eleitoralmente, é mais fácil de ser derrotado. Seu jogo político é mais fácil de ser desmontado, porque é percebido como extremamente previsível. Ao mesmo tempo, a base governista tem candidatos consistentes, em termos de conteúdo, e que, no devido tempo, certamente serão avaliados com mais atenção pelo eleitorado. Giuseppe Vecci (PSDB), Luiz Bittencourt (PTB), Virmondes Cruvinel (ou Francisco Júnior, do PSD) são vistos como políticos que, consistentes, podem surpreender Iris Rezende, sobretudo se apresentarem um programa de governo criativo e crível.

Em Aparecida de Goiânia, quando o nome do milionário Sandro Mabel foi apontado como possível candidato a prefeito, a base marconista assustou-se. Por dois motivos. Primeiro, não faltaria dinheiro à sua campanha. Segundo, porque tem estatura próxima da do prefeito Maguito Vilela. Terceiro, tem presença política nacional (não se governa Aparecida sem a mão generosa do governo federal). Quando Mabel saiu do páreo, abrindo espaço para a consolidação de Gustavo Mendanha, do PMDB, a base tranquilizou-se. Acredita-se que Mendanha não é páreo para o empresário Alcides Ribeiro ou para o vice-prefeito Ozair José, ambos do PSDB.

Em Anápolis, embora não trate o prefeito João Gomes como galinha morta, o tucanato sugere que o desgaste do PT nacional está abalando sua postulação. Tanto que, apesar da máquina e do apoio do ex-prefeito Antônio Gomide, o líder nas pesquisas de intenção de voto é o deputado estadual Carlos An­tônio, do Solidariedade. Fer­nando Cunha Neto, do PSDB, surge como uma força nova, mas que tem o apoio de figuras tradicionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.