Num momento de crise, governadores e prefeitos precisam do governo federal e, detalhe, com urgência

Michel Temer à frente de seus novos “amigos”: traição foi do projeto | Foto: Valter Campanato/Agência Brasill)
Michel Temer, presidente da República: ideologia à parte, governadores e prefeitos precisam dele: | Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Prefeitos e governadores da esquerda, do PT e de outros partidos, não querem chamar Michel Temer de “golpista” de jeito nenhum. Eles devem moderar a cúpula do PT e de outros partidos.

Num momento de crise, nenhum gestor público, ao menos em sã consciência, quer brigar com o presidente da República.

Num primeiro momento, com os ânimos radicalizados, é possível que, aqui e ali, algum gestor petista faça uma crítica mais ácida, até para agradar a militância.

Depois, aderindo ao que se pode chamar de princípio da realidade, os gestores de esquerda vão se acomodar e buscar ampliar a aliança, administrativa, com o governo federal. Governos estaduais e municipais precisam do apoio do governo federal — senão quebram, aliás, mais do que já estão quebrados.