Flamengo vai enfrentar o Liperpool e vai ser campeão mundial?

Se passar pelo Grêmio, o time treinado por Jorge Jesus irá à final da Libertadores. Depois, poderá pegar o Liverpool, da Inglaterra

Cilas Gontijo

Em 1981 o Flamengo sagrou-se campeão mundial ao vencer o Liverpool, time inglês, pelo placar de 3×0, jogo realizado em Tóquio, no Japão.

Naquele ano foi disputada a vigésima edição da competição, que se chamava Copa Europeia-Sul-Americana, mas também conhecida como Copa Toyota e Copa Intercontinental.

Gabi Gol: o atacante pode colocar o Flamengo contra o Liverpool | Foto: Reprodução

O Flamengo era praticamente imbatível — era uma seleção. Tanto que muitos falam que em 1982 o Brasil só não foi campeão porque não levou o Mengão de porteira fechada para disputar da Copa do Mundo.

Pra onde se olhava na Gávea só se via craques ou gênios da bola, como Andrade, Júnior, Adílio, Nunes. Todos comandados pelo maior ídolo do Mengo — Zico, o Galinho.

Em apenas 36 dias o Flamengo ganhou três títulos. Um estadual, inclusive devolvendo um placar de 6×0 que estava entalado contra o Botafogo, que em 1972, justamente no aniversário do clube rubronegro, deu de presente uma derrota de goleada 6 x 0. Depois veio os dois jogos, ou melhor, as duas batalhas contra o Cobreloa, do Chile. As partidas ficaram marcadas pela maldade dos jogadores do time chileno. O primeiro jogo em Santiago foi um verdadeiro MMA em campo: o time da casa venceu por 1×0.

No segundo jogo, realizado em Montevidéu, capital do Uruguai, não foi diferente do anterior. O time do Chile partiu para cima dos brasileiros de todas as formas. Mas, nesse jogo, o Mengão fez o que precisava: dois gols do craque do time, Zico. O time se vingou do adversário tanto no placar quanto também na porrada com a entrada de Anselmo — que foi colocado em campo pelo técnico Paulo César Carpegiani com um único objetivo: dá um soco no zagueiro chileno Mário Soto. Com isso o time estava de alma lavada — vingado — e se tornava campeão da Libertadores daquele ano, carimbando seu passaporte para a disputa do mundial.

Jorge Jesus: o técnico que deu um conjunto ao time do Flamengo e o levou a liderar o Campeonato Brasileiro | Foto: Reprodução

O adversário do time brasileiro, na Europa, metia medo em qualquer adversário. O Liverpool não perdia para ninguém, era um timaço e tinha um único objetivo nesse mundial — que era mostrar para o mundo a superioridade do futebol britânico e ignorava totalmente os feitos do seu adversário sul-americano.

O Flamengo entrou em campo com um objetivo particular: mostrar para seus torcedores e para o mundo que não era apenas um time do Maracanã, tendo em vista que seus maiores títulos da época foram conquistados nesse estádio. Seu objetivo maior era ser campeão mundial.

O Mengão era basicamente um time formado por jogadores de sua categoria de base que havia acabado de ganhar um tricampeonato carioca e o Campeonato Brasileiro de 1980.

O time da Gávea está na disputa da Libertadores de 2019 e acaba de  passar para as semifinais vencendo o Internacional de Porto Alegre em dois jogos, feito que o Flamengo não faz desde 1984 — há exatos 35 anos o time disputou sua última semifinal de Libertadores.

Os torcedores rubronegros apostam que os dois clubes podem se encontrar na final de mais um mundial de clubes. A diretoria do Mengão já deve estar pensando nisso.

O problema é que, para isto acontecer, ainda tem as semifinais e as finais da copa Libertadores da América, o rubronegro precisa passar por mais esses dois obstáculos para chegar lá.

Mas do jeito que o Flamengo vem jogando, depois da chegada de Jorge Jesus para comandar a equipe, com atuações que beiram à perfeição  — com o time jogando harmonicamente como se fosse uma orquestra tocando em alto nível —, é muito provável que alcance novamente o feito de chegar à uma final de Mundial de Clubes.

Indiferente há tudo isso está o time da terra dos garotos de Liverpool. O Liverpool já está com sua vaga garantida por ter faturado a  badalada Champions League e conta com alguns jogadores brasileiros no seu elenco — a começar pelo goleiro titular da Seleção Brasileira, Alisson, o volante Fabinho, reserva da seleção, e o atacante Roberto Firmino, titular no ataque da seleção canarinho. Eles são peças fundamentais no timaço dos Reds — que conta ainda com craques como Salá e Mané.

Mas o Mengão também vem voando baixo — desde o retorno da parada para a Copa América — sob o comando de Jorge Jesus e liderado dentro de campo pelos seus três magos: Arrascaeta, Gabi Gol e Bruno Henrique. O time tem, no 23/10, o duelo das semi contra o time gaúcho, o Grêmio de Renato Gaúcho. Se passar ainda terá pela frente no jogo único da final  —que será realizado no Estádio Nacional, na cidade de Santiago do Chile, no dia 23/11, de onde o time Rubronegro não tem boas lembranças desde sua última final de Libertadores em 1981 contra o time da casa, o Cobreloa.

Passando pelo time do Grêmio, o Flamengo pegará na final ou o Boca Juniors ou o River Plate  — dois times argentinos acostumados a ganhar a competição. Qualquer um que passar será um osso duro de roer, não será fácil, além do bom futebol, são times de pagada forte — com jogadores que, como se diz na gíria do futebol, não perdem a viagem.

A final do Mundial de Clubes acontecerá na cidade do Catar, no dia 21 de dezembro de 2019. Será que teremos uma revanche, depois de 38 anos, entre Flamengo e Liverpool? Eu aposto que sim.

Cilas Gontijo é comentarista esportivo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.