Famílias das vítimas do acidente do voo da Chape devem receber 4,77 bilhões de indenização

As empresas Aon, Bisa e Tokio Marine Klin devem pagar as indenizações. Mas elas ainda podem recorrer da decisão em primeiro grau

A Justiça da Flórida decidiu que famílias das vítimas do voo da Chapecoense devem receber uma indenização de 4,77 bilhões de reais (844 milhões de dólares). As seguradoras e resseguradoras Aon, Bisa e Tokio Marine Klin ainda podem recorrer, mas dificilmente ganharão a causa, acredita-se no meio jurídico. As empresas atuam nos Estados Unidos e vários de seus negócios envolveram Miami — daí a razão do processo nos Estados Unidos.

Na sentença da Justiça americana, ficaram decididos os valores que cada família receberá, informam reportagens da “Folha de S. Paulo” e da “Época”. “O processo inclui 40 dos 77 passageiros do voo 2933 da companhia aérea La Mia, da Bolívia”, aponta a revista. “A Corte se reserva no direito jurisdicional de considerar aplicável quaisquer propostas para tributar custos ou atribuir taxas, conforme previsão legal, bem como se reserva o direito de fazer cumprir a sentença exarada e ou o acordo celebrado que deu origem a este julgamento”, anotou, na sentença, o juiz Martin Silber.

Equipes realizam buscas no local do acidente | Foto: Reprodução / Assessoria de Polícia local

Marcel Camilo, advogado que representa nove famílias, disse que a decisão da Justiça americana representa uma “grande vitória”. Como se trata de uma sentença de primeiro grau, as empresas não terão de pagar de imediato o valor concedido pela Justiça. “A decisão homologa um acordo que abandonaram lá trás e abre brecha para que os créditos possam ser cobrados diretamente da seguradora e da resseguradora. Num primeiro momento, só beneficia as famílias que ingressaram com ação nos EUA. O que estamos tentando, não só para meus clientes, é para que, tanto na ação civil pública quanto na CPI, tenhamos a repercussão dessa decisão para que favoreça todas as outras famílias”, afirma o advogado.

Uma ação civil pública também corre no Brasil (os americanos foram mais rápidos). No país, uma CPI do Senado discute a responsabilidade pelo acidente e a situação das famílias.

O time da Chape ia jogar a final da Copa Sul-Americana, em 2016, mas o avião da La Mia caiu na região de Medellín, na Colômbia, e morreram 71 pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.