Ex-comandante diz que Bolsonaro não pediu sobrevoo no Supremo Tribunal Federal

“Comigo, nada foi tratado sobre isso. Não houve nenhuma consulta, nenhuma conversa sobre isso”, sustenta Antônio Carlos Moretti Bermudez

Antônio Carlos Moretti Bermudez, brigadeiro: ex-comandante da Aeronáutica | Foto: Reprodução

Acareação à vista? A “Veja” demorou, mas finalmente ouviu o ex-comandante da Aeronáutica Antônio Carlos Moretti Bermudez para responder a uma denúncia grave. O ex-ministro da Defesa Raul Jungmann disse à revista que o presidente Jair Bolsonaro pediu a “um comandante militar” — não especificando qual — que desse um voo rasante no Supremo Tribunal Federal para “estourar os vidros do prédio”.

O brigadeiro Bermudez contesta a “informação” de Jungmann. Bolsonaro não teria feito nenhuma consulta. “Comigo, nada foi tratado sobre isso. Não houve nenhuma consulta, nenhuma conversa sobre isso.” A “Veja” enfatiza que, “como comandante da Aeronáutica na época, caberia a ele mobilizar a equipe de solo e de voo para uma operação e dar uma ordem para que os jatos sobrevoassem o STF”. Se for verdade o que Bermudez afirma, a versão de Jungmann não procede.

O ex-ministro da Defesa frisa que Bolsonaro demitiu os comandantes do Exército, da Aeronáutica e da Marinha porque não acatavam seus pedidos. “Ao confrontá-lo com o absurdo de ações desse tipo, eles foram demitidos”, assinalou Raul Jungmann. À “Veja”, Bermudez frisou que a exoneração não tem a ver com pedidos não atendidos de Bolsonaro. “Mas se recusou a entrar em detalhes sobre os reais motivos da troca dos chefes das três forças armadas”, pontua a revista.

Jungmann fica numa situação delicada. Pois, se não apresentar as provas do que disse à “Veja”, ficará com a imagem de que “mentiu” para “manchar” a imagem de Bolsonaro. O ex-ministro tem a imagem de homem sério, incapaz de uma leviandade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.