Entenda como a reforma administrativa de Caiado vem sendo formulada

Sem data definida, proposta do novo organograma do governo é produzida e discutida em três níveis de avaliação, incluindo membros do governo e da consultoria externa

Governador exige uma estrutura administrativa enxuta, dinâmica e eficiente para implantar uma gestão eminentemente técnica | Foto: Reprodução

A montagem da estrutura administrativa oficial do governo Ronaldo Caiado termina nos próximos dias, mas ainda não tem data definida para ser enviada à Assembleia Legislativa. O novo organograma da gestão do Estado segue modelos profissionais de planejamento estratégico, com três níveis diferenciados de avaliação e decisão sobre o formato que será colocado no projeto de lei.

A proposta trará a estrutura básica, indicando cargos de primeiro e segundo escalões (secretarias e superintendências), além da chamada estrutura complementar com gerências e assessorias específicas para cada secretaria ou autarquia. Completa-se, assim, o arcabouço da administração direta e indireta.

O primeiro nível de proposta de organograma é discutido internamente em cada órgão, sob o comando dos titulares já nomeados pelo governador. O trabalho desses grupos internos é assessorado pelo segundo nível de avaliação, sob responsabilidade da Comunitas, consultoria privada contratada pelo governo. O terceiro e último nível de avaliação da estrutura a ser apresentada é realizado por um grupo de trabalho geral, com integrantes de diferentes áreas do governo, indicados pelo próprio governador. Cabe a esse núcleo bater o martelo sobre proposta final.

Ronaldo Caiado tem afirmado que sua gestão será eminentemente técnica e que delegará plenos poderes aos auxiliares, cobrando resultados periodicamente. Auxiliares que estão formulando a proposta de reforma administrativa dizem também que o novo governador exige uma estrutura enxuta, dinâmica e eficiente.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sergio

Piada…
Tiveram 2 meses para fazer isso junto a equipe de transição.
Mas até entendo, o foco das pessoas são os cargos e não o estado.

Ogg Sousa

Excelente matéria. A reforma é necessária!

HELVIO BORGES REZENDE

Postagens que não agradam o jornal opção são apagadas! Censura? Não podemos criticar políticos? Velho coronelismo já conhecido pelo povo Goiano !

Francesco Gatti

A Consultoria da Comunitas foi licitada?