Governador Marconi com a Presidenta Dilma no Lançamento do BRT fotos Eduardo Ferreira
Governador Marconi com a presidente Dilma no lançamento do BRT; fotos: Eduardo Ferreira

Pesquisa do Instituto Paraná mostra que o governador de Goiás, Marconi Perillo, é um dos mais bem-sucedidos do país.

Ao enfrentar a crise, apostando que um governador tem margem de manobra para que o Estado não soçobre — incentivando investimentos em várias áreas —, o tucano-chefe colhe frutos positivos. Como Goiás. Os governos do Rio Grande do Sul (governado pelo PMDB) e de Minas Gerais (gerido por Fernando Pimentel, do PT) — Estados bem mais ricos — estão atrasando salários; o primeiro está praticamente paralisado, fazendo apenas cortes, sem investir. Marconi Perillo, pelo contrário, tem uma aprovação de 53,8% — índice considerado alto. É o sexto colocado no ranking geral do instituto de pesquisa.

A pesquisa e, sobretudo, o fato de que Goiás não está à deriva — ao contrário de um Estado governado pelo PT, Minas Gerais, e outro Estado governado pelo PMDB, Rio Grande do Sul — indicam que as críticas de parte das oposições são inconsistentes. Publicamente, deputados oposicionistas fazem ressalvas e, às vezes, criticam duramente o governador tucano. No entanto, privadamente, admitem que estão surpresos com os resultados das ações do governo, que antecipou-se às outras unidades da Federação, fez um ajuste rigoroso e, agora, colhe os frutos.

Os acertos do governo Marconi, que reduziram o impacto da crise em Goiás, certamente contribuirão para resultados eleitorais positivos nas eleições de 2 de outubro deste ano. Em Goiânia, por exemplo, o tucanato pode surpreender e, depois de muitos anos, eleger o prefeito. Não lidera as pesquisas de intenção de voto, mas a campanha ainda não começou.