Michel Temer é cauteloso e sabe que seu ministro é competente, mas os empresários não conseguem resistir mais: estão quebrados ou quebrando

Foto Lula Marques/
Foto Lula Marques

O presidente Michel Temer publicamente vai dizer que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, está prestigiado. E está mesmo. É fato. Mas há outro fato: o engenheiro de Anápolis, por mais que se esforce, não consegue reduzir a crise econômica e o PIB não para de cair — o que significa mais empresas quebradas (quase todos os dias há uma recuperação judicial nova, como as do Piquiras, do Cabanas, da TCI, da Locagyn e do jornal “Diário da Manhã”, em Goiânia) e, como consequência, mais desempregados

O que fazer? O país não suporta mais. Os empresários estão quebrados ou quebrando. Por isso, há um movimento, tanto no governo de Michel Temer quanto no meio empresarial, para, primeiro, apertar Henrique Meirelles — que começa a ser visto como “excessivamente burocrático” e “formalista”. E, segundo, propor um substituo para o competente mas não mágico ministro da Fazenda.

O nome de Armínio Fraga, ex-golden boy de George Soros e ex-presidente do Banco Central, dos mais competentes, tem sido mencionado. Cotado antes, não aceitou o cargo. Mas tem sido cada vez mais mencionado por empresários de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás e outros Estados.

Henrique Meirelles é craque, mas o “rombo” deixado pelo governo da petista Dilma Rousseff é imenso e o problema é muito difícil de ser solucionado. É provável que se cair, e se Armínio Fraga assumir, em oito meses, se tanto, se começará outro movimento, aí pela queda do financista.