Empresa de goiano compra direito de dar nome ao estádio do Corinthians por 20 anos

A Hypera Pharma assinou o contrato. Mas o novo nome do estádio ainda não está definido. Chegou-se a cogitar Neo Química

A Hypera Pharma, gigante do setor farmacêutico, comprou o direito de dar nome ao estádio Arena Corinthians. O acionista controlador da empresa é o goiano João Alves Queiroz, conhecido como Júnior (que também teria participação no UOL). Chegou-se a falar que seria Arena Neo Química. Mas o UOL recuou da informação e disse que o nome não está definido. O grupo, que tem várias marcas, ainda não decidiu qual marca vai usar para nomear o estádio.

O UOL frisa que, apesar de o valor da transação não ter sido divulgado, estima-se que a aquisição tenha saído por 300 milhões ou 350 milhões de reais. “No entanto, o contrato com a empresa possui diversos ‘gatilhos’ que podem gerar mais dinheiro ao Corinthians, dependendo da presença de público no estádio”, afirma o repórter Samir Carvalho.

O Universo Online frisa que “o contrato com a Hypera Pharma para os namings righsts da Arena é de aproximadamente 20 anos”. O estádio foi construído há seis anos. A abertura da Copa do Mundo de Futebol de 2014 foi realizada no Arena Corinthians.

Naming Rights “é a prática da concessão de direitos de nome que empresas donas de algum estabelecimento de espetáculos culturais e/ou esportivos dá o nome para uma marca ou produto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.