“O eleitor de 2020 vai buscar renovação, mas de modo moderado. Há um sentimento de mudança, de renovação, mas com mais cuidado”

Pré-candidato a prefeito de Goiânia pelo PSB, o deputado federal Eliaz Vaz diz que não está “sumido”. “Ao contrário do que alguns pensam, estou me dedicando ao mandato de deputado federal, em respeito aos eleitores de Goiás, que confiaram em mim. A maioria dos deputados está participando das sessões por videoconferência. Eu, como primeiro vice-líder do partido, estou participando presencialmente, entre terça e quinta-feira. Portanto, Brasília toma parte significativa de meu tempo. Quando volto para Goiânia, tenho de dar assistência para os correligionários em todo o Estado, e não apenas na capital. Nós estamos reorganizando o partido, dando-lhe uma nova cara. Veja que, em 2018, em muitas cidades, os líderes do PSB não apoiaram nem minha candidatura nem a de Lissauer Vieira.”

Quando está em Goiânia, Elias Vaz se reúne com várias pessoas, em geral via online. “Nós estamos articulando e planejando a campanha. Vou fazer um pré-lançamento de minha candidatura em dez ou 15 dias. Por causa da pandemia do novo coronavírus, será um lançamento virtual, não dá para ser presencial. Estou muito animado e pretendo fazer uma grande campanha. Depois de 18 anos como vereador em Goiânia, tenho o que dizer sobre a cidade, a respeito do que precisa mudar em várias áreas, como saúde, educação, trânsito, transporte coletivo e questões sociais.”

Elias Vaz: pré-candidato do PSB a prefeito de Goiânia| Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Elias Vaz frisa que “o eleitor de 2020 vai buscar renovação, mas de modo moderado. O eleitor experimentou uma renovação radicalizada em 2018 e, tudo indica, não ficou satisfeito com o resultado. Há um sentimento de mudança, de renovação, mas com mais cuidado. O eleitor quer votar em candidato confiável, não quer loucuras, radicalização excessiva. Pode se falar em renovação com confiança. A ‘antipolítica’ não vai funcionar no pleito deste ano”.

Os índices nas pesquisas, no momento, revelam pouco, postula Elias Vaz. “Quem é mais conhecido tende a ter números mais altos. Mas, com a campanha, o quadro político tende a mudar. O quadro de Goiânia está inteiramente aberto e vai surpreender o que trabalham com categorias de análise rígidas. No momento, eu, Dra. Cristina Lopes e Francisco Júnior somos minimamente conhecidos. No momento adequado, os eleitores vão nos avaliar. Agora, estão avaliando os conhecidos, se é que estão, mas não nós.”

Quais serão os grandes temas das eleições de 2020?

Elias Vaz sugere que “saúde estará na linha de frente, porque se trata de um problema sério. Desigualdade social ligada à questão de oportunidades também estará na ordem do dia. A questão da renda mínima voltará ao debate, aliás, já voltou”. Tais temas constarão do ideário de campanha do deputado federal.

Quanto ao PSB no interior, Elias Vaz afirma que o partido deverá lançar pelo menos 35 candidatos a prefeito. “São candidatos com chances reais de serem eleitos. Em outras cidades, vamos fazer coligações. Eu e Lissauer estamos reestruturando o partido de maneira ampla.”