O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha tem confidenciado que ajudou praticamente todos os deputados federais do PMDB na eleição de 2014 — sim, com grana mesmo —, inclusive políticos de Goiás. É provável que, se fizer delação premiada, como cogitam alguns advogados — porque, se não fizer, não escapará de uma condenação pesada —, entregue todo mundo. Pode sobrar para os aliados goianos.

Há quem recomende a Eduardo Cunha que, no lugar de fazer delação premiada, o que o queimaria com meio Brasil, conceda uma entrevista coletiva, um dia depois de cassado — sua cassação é irreversível —, revelando todo o bastidor de suas alianças políticos e negócios.