Waldir Soares aposta que tucanato pode bancá-lo para prefeito de Goiânia
Waldir Soares aposta que tucanato pode bancá-lo para prefeito de Goiânia

O delegado Waldir Delegado Soares teme que a cúpula tucana esteja trabalhando para alijá-lo da disputa para a Prefeitura de Goiânia em 2018? Aliados do deputado federal acreditam que, de maneira “solerte”, o tucanato teria conseguido impedir sua entrada no Partido da Mulher Brasileira (PMB)? Na verdade, três questões devem ser apontadas.

Primeiro, a cúpula nacional queria duas mulheres para dirigir o partido em Goiânia e em Goiás. Segundo, o delegado Waldir poderia até assumir o partido, mas não teria o direito de controlar o fundo partidário — o que o teria deixado arrepiado. Terceiro, o tucanato avalia que, se Waldir sair do páreo, cresce a expectativa de Iris Rezende ganhar no primeiro turno. Portanto, nenhum tucano perspicaz quer retirá-lo do páreo.

O delegado Waldir aposta todas as suas fichas, se não conseguir migrar para outro partido, que os pré-candidatos da base aliada — como Giuseppe Vecci, do PSDB, e Virmondes Cruvinel, do PSD — não vão deslanchar e, deste modo, a cúpula irá buscá-lo em casa para disputar a prefeitura.

Isto é possível?, perguntou o Jornal Opção para um tucano de bico erado. “É, sim.” Por quê? “Porque o governador Marconi Perillo, se perceber que só pode derrotar Iris Rezende com a candidatura do delegado Waldir, vai hipotecar todo seu apoio a ele.” Qual é o lance? “O lance é o seguinte: se Iris Rezende for eleito prefeito da capital, o nome do senador Ronaldo Caiado ficará muito forte para a disputa do governo de Goiás em 2018. Portanto, entre fortalecer o presidente do DEM e eleger o delegado Waldir, se isto for possível, nós, tucanos, vamos ficar, é claro, com a segunda possibilidade. Uma coisa que político detesta é o chamado ‘suicídio burro’.”