Das 12 cidades com mais de 70 mil eleitores, grupo de Caiado é favorito em oito

Em duas onde não é franco favorito, há chances de virar o jogo e ganhar. Em dois municípios, não tem força política

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do partido Democratas, é um hábil articulador político. Ao mesmo tempo que administra o Estado, opera na área política, movendo peças do xadrez e reconectando e ampliando alianças. Recentemente, em duas cidades chaves do Entorno de Brasília, mexeu no tabuleiro e reforçou a base governista. Em Cidade Ocidental, com a junção do prefeito Fábio Soares, do Progressistas, e de Antônio Lima, do Progressistas, o governismo conseguiu isolar o candidato do MDB, Alex Batista. Em Águas Lindas, que tem quase 100 mil eleitores, definiu uma aliança que tem chance de eleger o prefeito.

O fato é que das 12 cidades com maior eleitorado — com mais de 70 mil eleitores —, o governo é franco favorito em oito delas. Em duas, há possibilidade de ganhar, embora a disputa seja acirrada. O prefeito de Anápolis, Roberto Naves, do Progressistas, vai disputar contra o candidato do PT, Antônio Gomide. A tendência é que, no segundo turno, tenha chance de sagrar-se vitorioso, pois há a possibilidade de encorpar sua frente política. O petista tende a ficar isolado, com um ou outro apoio, como o MDB de Márcio Corrêa.

Em Itumbiara não há segundo turno e, no momento, com a campanha apenas começando, Gugu Nader, do PSL, conhecido na cidade como “cavalo paraguaio” (ele quer quebrar a tradição de perdedor), está em primeiro lugar, mas com Dione Araújo, do Democratas, na sua cola. Gugu Nader é popular e sua briga com o prefeito Zé Antônio o fortaleceu. Mas a estrutura encorpada de Dione Araújo pode acabar virando jogo.

Em Aparecida de Goiânia só um “veterremoto” pode tirar a vitória do prefeito Gustavo Mendanha, do MDB. Só que ninguém acredita em abalo sísmico na política local.

Em Valparaíso de Goiás, no Entorno de Brasília, os dois candidatos mais fortes são o prefeito Pábio Mossoró, do MDB, e a deputada estadual Lêda Borges, do PSDB. No momento, segundo pesquisa do instituto Real Time Big Data, encomendada pela TV Record de Brasília, Pábio Mossoró é o favorito. A parlamentar montou uma chapa com adversários aos quais fez acusações sérias no passado recente.

A confirmar as previsões, o governo está criando uma base política ampla e sólida para 2022.

1 — Goiânia: 971.221 eleitores.

Vanderlan Cardoso: candidato do PSD / Foto: Flickr

Governismo é favorito. Duas pesquisas divulgadas recentemente mostram que Vanderlan Cardoso, do PSD, é o favorito. Mas a disputa com Maguito Vilela, do MDB, não será fácil. Vai ser uma guerra.

2 — Aparecida de Goiânia: 308.649 eleitores.

Gustavo Mendanha: prefeito de Aparecida de Goiânia | Foto: Reprodução

O prefeito Gustavo Mendanha, do MDB, é favorito. Veter Martins é a aposta do governismo para não permitir que o gestor municipal ganhe por W. O. Os grupos governistas querem manter um pé na cidade.

3 — Anápolis: 269.556 eleitores.

A disputa será acirrada entre o prefeito Roberto Naves, do Progressistas, e Antônio Gomide, do PT. Os dois devem ir para o segundo turno. A tendência é que a frente do prefeito seja mais encorpada na segunda etapa da campanha.

4 — Rio Verde: 132.809 eleitores.

Paulo do Vale, prefeito de Rio Verde | Foto: Reprodução

Governismo é favorito. O prefeito Paulo do Vale, do Progressistas, é apontado como favorito. A oposição se uniu, mas não será fácil competir com o líder do DEM, apontado como gestor eficiente.

5 — Luziânia: 117.695 eleitores.

Diego Sorgatto: candidato do DEM | Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

Governismo é favorito. Na maior cidade do Entorno de Brasília, o candidato do Democratas, Diego Sorgatto, é considerado o favorito. O segundo nome mais forte, o da prefeita Professora Edna, do Podemos, também integra a base governista.

6 — Águas Lindas: 94.752 eleitores.

Túllio Silva: candidato do Democr pré-candidato a prefeito de Águas Lindas pelo DEM

Governismo é favorito. Na segunda maior cidade do Entorno de Brasília, o candidato do Democratas, Túllio Silva, é mencionado como favorito. Com o reforço do PTB, que indicou o vice, o postulante ficou ainda mais forte. O segundo nome de mais peso, Lucas Antonietti, também pertence à base governista, pois integra o Podemos do deputado federal José Nelto.

7 — Trindade: 84.176 eleitores.

Dr. Antônio de Moraes: candidato pelo DEM | Foto: Divulgação

Governismo favorito. O deputado estadual e médico Dr. Antônio Carlos Caetano, do Democratas, lidera as pesquisas, seguido de dois nomes consistentes, George Morais, do PDT, e Marden Júnior, do Patriota.

8 — Valparaíso de Goiás: 81.923 eleitores.

Pábio Mossoró: prefeito de Valparaíso | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

A disputa, acirrada, se dará entre o prefeito Pábio Mossoró, do MDB — o favorito —, e Lêda Borges, do PSDB. O governismo não é forte na cidade.

9 —Itumbiara:  72.204 eleitores.

Gugu Nader: candidato do PSL | Fernando Leite/Jornal Opção

O favorito é o vice-prefeito Gugu Nader, do PSL. Mas Dione Moura, do Democratas, luta para virar o jogo.

10 — Senador Canedo: 71.061 eleitores.

Fernando Peloso: candidato do PSD

Governismo é favorito. Bancado por Vanderlan Cardoso, o fisioterapeuta Fernando Peloso, do PSD, é apontado como favorito. O prefeito Divino Lemes, dado o peso da máquina, não é um adversário a se subestimar.

11 — Catalão: 71.060 eleitores.

Adib Elias, prefeito de Catalão | Foto: Reprodução

O governismo é favorito. Só um terremoto tira a reeleição do prefeito Adib Elias, do Podemos. Só que não há abalos sísmicos na cidade.

12 — Formosa: 70.606 eleitores.

Gustavo Marques, prefeito de Formosa | Foto: Reprodução

O governismo é favorito. A cidade tem nove candidatos, o que, por certo, facilitará a reeleição do prefeito Gustavo Marques, do Podemos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.