Daniel Vilela está articulando em todo o Estado de Goiás

Escalado para vice de Ronaldo Caiado, o presidente do MDB está dialogando com políticos e com líderes dos segmentos organizados

Workaholic e infatigável. As duas palavras definem Daniel Vilela. O presidente do MDB, escalado para ser vice do governador Ronaldo Caiado na disputa de 2022, articula em tempo integral, e num Estado cuja dimensão territorial é maior do que a de Israel, Cuba e Portugal juntos.

De fato, inicialmente, havia uma resistência ao seu nome na vice de Ronaldo Caiado. Porém, dado o fato consumado, a resistência hoje é cada vez menor. Tanto que o prefeito de Turvânia, Fausto Mariano (DEM), esteve no encontro do MDB em Porangatu e defendeu a aliança. O gestor municipal disse que é preciso deixar o passado de lado, já que não volta mais, e trabalhar no presente e pensando num futuro melhor para todos. Ele e Daniel Vilela fizeram as pazes e reabriram o diálogo.

Daniel Vilela tem conversado com o presidente do PP, Alexandre Baldy, e com o prefeito de Anápolis, Roberto Naves, do PP. O primeiro encontro, em Anápolis, foi tenso. Mas agora, aberto o diálogo, o relacionamento é positivo.

Daniel Vilela: presidente do MDB | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O presidente do MDB irá conversar com Adib Elias? Sim, sem qualquer receio. Afinal, antes do rompimento, eram aliados e se respeitavam. Ronaldo Caiado já conversou com o prefeito de Catalão. Agora, será a vez de Daniel Vilela, que terá de ouvir mais do que falar. Amadurecido, admitindo que cometeu erros políticos no passado recente, o líder emedebista quer se reconciliar com aqueles que saíram do MDB expurgados.

O diálogo com Lissauer Vieira era positivo antes da escolha de Daniel Vilela para vice de Ronaldo Caiado. Curiosamente, o presidente do MDB não se escolheu para vice. Foi convidado pelo governador. O presidente da Assembleia Legislativa, de 41 anos, e Daniel Vilela, de 38 anos (completa no dia 23 de outubro), são da mesma geração e, aos poucos, se entenderão. Até porque, dada a idade de ambos, o futuro político de Goiás pertence a eles. Se estiverem unidos, um fortalecerá o outro. Em 2026, é provável que a chapa para governador e vice-governador terá, juntos, Daniel Vilela e Lissauer Vieira, possivelmente com Ronaldo Caiado e Vanderlan Cardoso para senador.

A conversa mais difícil será com Renato de Castro, de quem Daniel Vilela era amigo. O ex-prefeito de Goianésia permanece “magoado”. Mas Ronaldo Caiado está procurando criar uma espécie de “distensão” para que os dois possam voltar a dialogar. O futuro político de Goiás pertente, insista-se, a Daniel Vilela, a Lissauer Vieira, a Roberto Naves, a Lincoln Tejota, a Virmondes Cruvinel, a Renato de Castro, a Alexandre Baldy e a vários outros jovens políticos.

O fato é que Daniel Vilela está circulando por todos o Estado de Goiás, conversando com prefeitos, vereadores e lideranças políticas e também com representantes dos segmentos organizados da sociedade. Ele tem sido bem recebido em todas as cidades. As pessoas dizem, no geral, que a composição política com Ronaldo Caiado é uma prova de maturidade. Há poucos dias, um homem de 80 anos, cujo pai foi do PSD (o de Juscelino Kubitschek e Pedro Ludovico), disse para um emedebista: “Daniel fez bem em aliar-se a Ronaldo Caiado. Porque, juntos, vão impedir o retorno da era dos desmandos, a de Marconi Perillo. Esse menino, o Gustavo Mendanha, é porta-voz de Marconi. É o velho Marconi disfarçado de ‘menino’”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.