Em 2020, o União Brasil e o MDB montaram uma chapa forte em Nova Crixás — o quinto maior município de Goiás em extensão. Lázaro Valdivino da Silva (Paraíba da Farmácia), de 56 anos, foi o candidato a prefeito pelo UB. O pecuarista Rodrigo Barbosa Tavares, de 41 anos, foi o vice pelo MDB. A chapa obteve uma vitória acachapante — obtendo 60,01% dos votos válidos.

Mas Paraíba da Farmácia e Rodrigo Tavares romperam mesmo antes da posse. Cada um teve sua posse em separado.

Agora, quase quatro anos depois, a disputa será entre o prefeito Paraíba da Farmácia, em busca da reeleição, e o vice-prefeito Rodrigo Tavares.

Rodrigo Tavares se impôs três missões. Primeiro, lutar para se eleger prefeito de Nova Crixás. Segundo, contribuir para a eleição do governador Ronaldo Caiado a presidente da República (“divulgo seu nome por onde passo”). Terceiro, atuar, com firmeza, na campanha de governador de Daniel Vilela em 2026.

A base governista terá dois candidatos a prefeito. Inicialmente, pintou a dúvida: será que, sendo o prefeito do União Brasil, Rodrigo Tavares teria espaço para disputar a prefeitura pelo MDB.

Dada a dúvida, Rodrigo Tavares manteve uma longa com o vice-governador Daniel Vilela. No lugar de colocar obstáculo à sua postulação, o presidente estadual do MDB lançou sua candidatura a prefeito. Pelo conversado, Ronaldo Caiado não colocará nenhum empecilho à sua candidatura. Os favoritos — o prefeito e o vice — são da base governista. Então, aquele que ganhar “estará tudo em casa”. O importante é manter a base reforçada para os pleitos de 2024 e 2026.

No momento, com a pré-candidatura reafirmada pela cúpula do MDB, Rodrigo Tavares está costurando uma frente política para enfrentar o prefeito — o “dono” da máquina pública. Há possibilidade de composição, por exemplo, com o Solidariedade, entre outros partidos.

Rodrigo Tavares diz que governar Nova Crixás não é fácil, dada a extensão do município. “Mas é possível fazer mais e melhor”, sumariza. “As populações ribeirinhas, da beira do Rio Araguaia, precisam de muito apoio; aliás, como toda a região.”

“Nova Crixás tem tudo para ser a Princesinha do Vale do Araguaia, pois é altamente produtiva e indústrias da área do agro estão chegando com frequência. Somos fortes em pecuária e, também, em agricultura. Com uma gestão mais atenta à expansão da economia, que a entenda de modo amplo, o município pode crescer de maneira ampliada”, afirma Rodrigo Tavares.

De acordo com Rodrigo Tavares, é preciso criar uma infraestrutura urbana para quem mora na cidade e para quem planeja morar. “A área de saúde, que não tem um raio X funcionando, precisa de investimentos substanciais. Não há um hospital particular e o hospital público não funciona bem. A pessoa é regulada e enviada para outra cidade. Os exames também são feitos fora. Ou seja, falta estrutura básica para atender o morador, que não se sente seguro. O transporte escolar é um problema crônico. Sei que é difícil cuidar de 5 mil quilômetros de estradas vicinais, mas é possível resolver o problema. Não podemos permitir que os alunos passem mais tempo dentro dos ônibus do que nas escolas.”

Em suma, enfatiza Rodrigo Tavares, a economia está à frente da política em Nova Crixás. “Por isso, é preciso colocar a política — a gestão pública — a serviço da economia, quer dizer, da sociedade, de todos.” (E.F.B.)