CPI da UNE vai investigar o que militantes fizeram com milhões “doados” pelo governo federal

Deputado federal Marco Feliciano conseguiu reunir “mais de 200 assinaturas para instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito”

Carina Vitral foto de Vitor Vogel carina3_vitor_1700

A coluna “Radar”, assinada por Vera Magalhães mas com texto de Severino Motta, revela que o deputado federal Marco Feliciano reuniu “mais de 200 assinaturas para instalar a CPI da UNE”.

A Comissão Parlamentar de Inquérito deverá ser instalada em seguida à votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Controlada pelo PC do B, a “UNE terá de explicar para onde foram os milhões de reais que o governo federal”, sob o mando do PT, “lhe entregou nos últimos” anos.

A revista “Veja” assinala que “um deputado que assinou o requerimento já aconselhou os dirigentes a irem procurando as notas fiscais dos gastos da entidade”.

Vem uma superbomba por aí, considerando que estudantes, sobretudo militantes que usam entidades para fins políticos, não são muito cuidadosos com a contabilidade e por certo não acreditavam que, um dia, teriam de prestar contas dos gastos com dinheiro público.

A UNE é presidida por Carina Vital, de 26 anos. Ela é estudante de economia da PUC-SP. Até onde sabe, é uma cidadã decente e, como tal, deverá apresentar a documentação dos ganhos e gastos da entidade. Do ponto de vista jurídico, poderá tirar o corpo em relação às gestões anteriores.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.