CPI da Covid coloca presidente do Conselho Federal de Medicina como “investigado”

“Pelo apoio ao negacionismo, pela maneira como deu suporte à prescrição de remédios ineficazes e pela omissão diante de fatos evidentemente criminosos”

Mauro Luiz de Brito Ribeiro: presidente do Conselho Federal de Medicina | Foto: Reprodução

O presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Mauro Luiz de Brito Ribeiro, agora é tratado como “investigado” pela CPI da Covid-19.

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros, disse: “Em função dos fatos verificados na investigação, eu queria elevar, e comunico a vossa excelência, à condição de investigado desta Comissão Parlamentar de Inquérito o senhor Mauro Luiz de Brito Ribeiro, que é presidente do Conselho Federal de Medicina. Pelo apoio ao negacionismo, pela maneira como deu suporte à prescrição de remédios ineficazes — e os defendeu publicamente — e pela omissão diante de fatos evidentemente criminosos”.

Renan Calheiros: relator da CPI da Covid-19 | Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

Médicos relatam que a Prevent Senior os obrigava a receitar cloroquina e ivermectina, mesmo quando já se sabia que tais medicamentos não tinham (e não tem) nenhuma eficácia no combate à Covid-19. Entidades médicas e cientistas se posicionarem contra o kit covid, mas, mesmo assim, o Conselho Federal de Medicina decidiu insistir que a decisão deve ser dos médicos e dos pacientes.

Mauro Luiz de Brito Ribeiro se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro, em 2020, e discutiram o uso da hidroxicloroquina contra a Covid-19. A CPI também investiga o fato de que o Conselho Federal de Medicina só decidiu se pronunciar sobre a aquisição de vacinas contra a pandemia depois de receber uma carta de 20 médicos, ex-presidentes e ex-conselheiros do CFM.

Uma resposta para “CPI da Covid coloca presidente do Conselho Federal de Medicina como “investigado””

  1. Eu me curei da Covid com Ivermectina !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.