Os candidatos do PSDB e do Republicanos estão empatados. Boulos, apesar da rejeição alta, empata com ex-governador. PT e Joice Hasselmann estão mal

Celso Russomanno: o deputado é conhecido como “cavalo paraguaio” | Foto: Reprodção

Levantamento do instituto Paraná Pesquisas, divulgado pela revista “Veja”, mostra que, se disputa fosse realizada hoje — ocorrerá daqui a 44 dias —, iriam para o segundo turno na disputa pela Prefeitura de São Paulo o deputado federal Celso Russomanno, do Republicanos, e o prefeito Bruno Covas, do PSDB. O primeiro tem 25,6% das intenções de voto, e o segundo aparece com 21,5%. A rigor, há um empate técnico (a margem de erro é de três pontos para menos ou para mais).

Bruno Covas: prefeito de São Paulo | Foto: Governo do Estado de São Paulo

A ressalva é a fama de “cavalo paraguaio” — “boliguaio” — de Russomanno, que quase sempre começa em primeiro e, durante a campanha, desidrata e perde (resta saber se o apoio do presidente Jair Bolsonaro vai ajuda-lo). Ressalve-se que Covas já esteve melhor, à frente do parlamentar.

Guilherme Boulos : candidato pelo Psol | Foto: reprodução/Facebook

O ex-governador de São Paulo Márcio França, do PSB, aparece com 8,3%, pouco acima de Guilherme Boulos, do Psol, que tem 8,2%. Na verdade, estão empatados. Considerando as estruturas dos dois partidos, a situação de Boulos é bem melhor, e os números conferem expectativa de uma possível ascensão.

Márcio França: número baixo para um ex-governador | Foto: Reprodução

O problema de Boulos é sua rejeição — de 59,8% — que tende a ser intransponível. É provável que tal rejeição, para um postulante de escassa história e que não tem envolvimento com corrupção, tenha a ver com seu discurso radical, que, se empolga estudantes universitários, parece assustar a maioria da população de São Paulo.

Gilmar Tatto: candidato PT vai mal | Foto: Reprodução

Jilmar Tatto, do PT, decepciona — com 2,6%. Ele está empatado com Andrea Matarazzo, do PSD, que tem 2,6%.

Joice Hasselmann: candidata do PSL decepciona | Foto: Divulgação

A deputada federal Joice Hasselmann também decepciona, com 1,3%. A candidata do PSL está em oitavo lugar. Ela está atrás do candidato do Patriota, Arthur do Val, que tem 2,3%.

Vale ressaltar que a campanha só está começando. Os candidatos terão 44 dias para convencer o eleitorado de que são capazes de reinventar a “poesia concreta” das ruas e bairros de São Paulo.

O Paraná Pesquisas ouviu 1000 eleitores entre 26 e 30 de setembro. A pesquisa está registrada no TSE: SP-06440-2020.