Classe C perde renda, reduz consumo “sofisticado” e compra mais arroz e feijão

Num recente seminário organizado pelo presidente da Federação da Agricultura do Estado de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner, algumas informações não foram captadas pela Imprensa, mas foram intensamente discutidas pelos produtores rurais. Um empresário revelou que, quando o país não estava em crise e a classe C se tornara forte, o consumo de iogurte e alimentos mais variados cresceu de modo extraordinário. Ao mesmo tempo, o consumo de arroz — inclusive o Cristal, o mais celebrado nas cozinhas goianas (supermercados pressionam seus preços para baixo, mas o proprietário Walterdan Fernandes Madalena até retira o produto das empresas que resistem à sua política comercial) — caiu de maneira exponencial.
Agora, com a recessão instalada, e já ameaçando se tornar depressão, a classe C deixou de consumir produtos relativamente sofisticados e, mais uma vez, o consumo de arroz cresceu. O de arroz e o de feijão. Segundo o empresário, a dieta voltou a ficar pobre.

Uma resposta para “Classe C perde renda, reduz consumo “sofisticado” e compra mais arroz e feijão”

  1. Avatar Epaminondas disse:

    “Voto 13 pelos pobres”.

    Ah, como eu ouvi isto de gente justificando votar na Dilma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.