O ministro da Casa Civil aposta que, no período das convenções, Bolsonaro vai superar Lula e pode ganhar no primeiro turno

Ciro Nogueira e Jair Bolsonaro: o ministro e o presidente | Foto: Reprodução

O ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, do pP, concedeu uma entrevista à revista “Veja” na qual bate duro no ex-presidente Lula da Silva, do PT.

Ciro Nogueira sugere que Lula da Silva representa um “retrocesso”. “O grande adversário de Lula na próxima eleição será o Lula de 2002. O Lula de 2002 é muito pior do que o Lula de 2022. Ele agora diz que vai revogar a Reforma Trabalhista, intervir no preço da Petrobrás, acabar com o teto de gastos. Meu Deus, o dólar vai para 20 reais. É um Lula que vem magoado porque foi preso, cercado de pessoas que sofreram nos aeroportos, nos restaurantes. É um Lula mais próximo da Venezuela, de Cuba, do que de um país que possa se integrar no mundo desenvolvido”.

Gleisi Hoffmann e Lula da Silva | Foto: Reprodução

Em seguida, Ciro Nogueira acrescenta: “O PT quer fazer as pessoas acreditarem que o jogo acabou antes mesmo de ter começado. Eu não vou deixar e, por isso, comecei a lembrar das pessoas que estão vindo junto com Lula: Gleisi Hoffmann, o Antônio Palocci, o Guido Mantega. Não é só o Lula. E não é o Lula do Emmanuel Macron (presidente da França), é o Lula do Maduro, o Lula de Cuba. Parece que ninguém estava percebendo isso”.

Ciro Nogueira frisa que a economia é que vai decidir a eleição de outubro de 2022. “Vi uma pesquisa outro dia dizendo que, dos indecisos, mais da metade votaria no presidente se a inflação caísse e o emprego voltasse. E graças a Deus a inflação vai cair e o emprego vai voltar. É por isso que ele está crescendo. Eu não tenho dúvida de que o presidente teve um mau momento nas pesquisas, mas daqui a dois meses ele vai estar empatado com Lula na margem de erro e, nas convenções, já vai estar na frente. Depois, vocês vão começar a fazer as contas para saber se o presidente Bolsonaro ganha no primeiro turno.