Candidatura de Adriana Accorsi pode superar o desgaste do PT

adriana-accorsi-feliz-foto-reproducao-OK

Deputada estadual Adriana Accorsi | Foto: reprodução/ Facebook

Há um mantra para as eleições deste ano: candidatos do PT sofrerão o desgaste do partido em nível nacional — sobretudo o afastamento da presidente Dilma Rousseff — e, por isso, terão mais dificuldades. Porém, esse mantra, embora tenha um vasto campo de verdades, pode não se mostrar tão assertivo assim. Em eleições municipais, o voto é mais ligado à figura do candidato, à sua capacidade de gestão, do que ao partido ao qual é filiado. Isso explica porque vários candidatos petistas estão bem avaliados em pesquisas tanto de capitais quanto no interior.

Em Goiânia, a candidata petista Adriana Accor­si sofre mais com o desgaste do atual prefeito da capital do que com o de sua sigla. Aliás, praticamente todos os candidatos apoiados por atuais prefeitos enfrentarão certa rejeição. Isso porque quase não há prefeitos bem avaliados. A crise foi mais acen­tuada nos municípios e os pre­feitos são os que mais so­frem as consequências dela.

Porém, o presidente metropolitano do PT, deputado Luis Cesar Bueno não vê a questão dessa maneira. Para ele, o prefeito Paulo Garcia tem se recuperado nos últimos meses e isso ajudará Adriana. “Não temos gastado com publicidade para divulgar nosso governo, mas quando começar a campanha todos verão que seremos eleitos”, diz.

O deputado relata que Paulo Garcia tem se recuperado e deverá se recuperar mais nos próximos meses. “O prefeito revitalizou a Praça Cívica, construiu 53 Cmeis, revitalizou a Marginal Botafogo, está construindo a extensão da Marginal Cascavel, fez um programa de mobilidade com ciclovias e está construindo o BRT. E há muitas outras obras. A população verá isso”, argumenta.

A convenção do PT, que acontece no dia 5, na Assembleia Legislativa, confirmará a coligação com: Pros, PTC, PCdoB, PMN, PPL, PTdoB e PEN. As conversas com outros partidos, inclusive grandes siglas, continuam até o dia da convenção. O diálogo é para definição da vice, que não será do PT.

Adriana, que foi a segunda deputada estadual mais votada em Goiânia, diz que já fez dezenas de reuniões (cinco em cada região de Goiânia), e que tem sido bem recebida pela população, principalmente devido à sua atuação como delegada, algo que pesa a seu favor, dado que a segurança pública será um ponto importante neste pleito. Tanto que Luis Cesar é assertivo em dizer que a eleição será polarizada entre os dois delegados, Adriana e Waldir (PR).

Para isso, quando a campanha começar, daqui a uma semana, Adriana terá que mostrar a que veio. Se fizer uma boa campanha, a deputada tem boas chances. “Pode crescer e acabar virando a eleição”, diz um pesquisador. “Se Vanderlan repetir o fraco desempenho de suas campanhas ao governo, isso a ajudará”, arremata.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.