O centro e a esquerda vão disputar o segundo turno, pelos dados divulgados até agora

A grande surpresa de São Paulo é a votação extraordinária de Guilherme Boulos, que, embora tenha ficado em segundo lugar, obteve mais votos do que sugeriam as pesquisas. Ele vai para o segundo turno contra o candidato do PSDB, o prefeito Bruno Covas.

Celso Russomanno, do Republicanos, que chegou a liderar as pesquisas, não vai para o segundo turno e obteve uma votação pífia. Sua aliança com o presidente Jair Bolsonaro não o fortaleceu, mas procede que o deputado é, desde algum tempo, considerado como um cavalo “boliguaio”: sai na frente, em disparada, mas cansa e de desidrata no meio do caminho.

Se Bolsonaro não foi bem, o PT de Lula também se saiu mal, com Jilmar Tatto mal colocado.

Há o fato de que muita gente ligada a Lula da Silva bandeou-se, atrás do voto útil, para o lado de Boulos.