As três amazonas que querem representar Goiás no Senado

Lúcia Vânia, Magda Mofatto e Iris Araújo são políticas experimentadas e podem surpreender em 2018

Magda Moffato, Dona Íris e Lúcia Vânia

Magda Mofatto, Dona Íris e Lúcia Vânia

Goiás poderá ter três candidatas a senadora em 2018: Lúcia Vânia, do PSB, Magda Mofatto, do PR, e Iris Araújo, do PMDB. Nenhuma é fraca.

Iris Araújo tem resistência no próprio PMDB, que cobra renovação. Mas é uma política experimentada e, sobretudo, casada com Iris Rezende, o prefeito eleito de Goiânia, que, gerindo quase 500 milhões de reais por mês, terá força política e econômica nos próximos quatro anos.

Magda Mofatto é vista apenas como a empresária endinheirada. É um engano. A deputada federal e comandante-em-chefe do PR em Goiás é uma política articulada e uma verdadeira workaholic. Poucos são tão determinados quando a parlamentar. Seu problema é que o meio-campo para o Senado está congestionado. Se o governador Marconi Perillo for candidato, e sendo favoritíssimo, só restará uma vaga para a disputa.

Lúcia Vânia é o que se pode chamar de uma força da natureza. É a senadora goiana que mais trabalha e que menos divulga o resultado de seu trabalho. Mas os prefeitos e os líderes regionais sabem que se trata de uma política que trabalha e leva recursos para os municípios. Trata-se de uma lídima representante municipalista, e com ampla visão de Estado. Na eleição de 2016, procurou montar uma base política azeitada em todas as regiões. Mesmo onde seus candidatos perderam, restou uma base montada e, até, azeitada. Acrescente-se que controla dois partidos políticos — o PSB, que preside em Goiás, e o PPS, que é dirigido pelo deputado Marcos Abrão, seu sobrinho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.