Apoiadores do Aliança do Brasil devem migrar para partido em que Bolsonaro se filiar

Em Goiás, mais de 7 mil fichas foram assinadas por bolsonaristas que querem integrar o novo partido, caso seja concretizada a criação

O presidente Jair Bolsonaro já mandou o recado: caso a criação do partido Aliança do Brasil se concretize até março do próximo ano, ele irá buscar uma nova sigla para se filiar. Há um reconhecimento entre os que apoiam a criação da legenda que há uma dificuldades em conseguir cumprir os requisitos exigidos e tirar do papel o projeto. Mas isso não deve significar trabalho perdido.

Em Goiás o projeto de criação do Aliança é encabeçado pelo deputado federal Major Vitor Hugo. Ele diz acreditar que caso o novo partido não seja viabilizado, todos que apoiam o projeto devem migrar juntamente com Bolsonaro para o partido escolhido por ele. “Na eventualidade de não ser possível a criação até o prazo que o presidente informou, toda esta estrutura se voltará para o partido que ele escolher. Nenhum esforço será perdido. Queremos viabilizar da melhor forma a reeleição do nosso presidente e o crescimento da direita no Brasil”, declara.

Segundo Vitor Hugo, em Goiás já foram preenchidas mais de 7 mil fichas com dados de apoiadores. “Temos uma estrutura grande de voluntários, presente em quase 150 postos de coletas, em 20 cidades diferentes”, diz o deputado bolsonarista.

A criação do Aliança Brasil nasceu como alternativa encontrada pela família Bolsonaro, após o rompimento do PSL nas eleições de 2018. Mas as dificuldades de criar o partido, e os resultados das eleições municipais deste ano, fazem com que o presidente e seus conselheiros mais próximos mantenham abertas as portas de outras legendas, que poderiam abrigar o projeto político dos Bolsonaros para 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.