7 políticos que devem disputar o governo de Goiás em 2022

Daniel Vilela, Alexandre Baldy, Vanderlan Cardoso, Ronaldo Caiado, Jorge Kajuru, Jânio Darrot e Rubens Otoni estão no jogo

A eleição para governador de Goiás será disputada daqui a três anos. Aparentemente, está distante, mas os políticos estão articulando desde já, inclusive transformando a eleição de 2020 como “ponte” para a eleição seguinte. Sete nomes estão praticamente definidos.

Alexandre Baldy: secretário do governo de João Doria em São Paulo | Foto: Jornal Opção

1 — Alexandre Baldy/PP — O ex-ministro e secretário de Transportes Metropolitanos do governo de São Paulo está de olho no pleito de 2022. Tanto pode ser candidato a governador quanto a senador. O cargo que vai pleitear depende da circunstância da próxima disputa estadual.

Daniel Vilela, presidente do MDB em Goiás | Foto: Jornal Opção

2 — Daniel Vilela/MDB — O presidente do MDB tende a disputar o governo do Estado. Primeiro, porque tem o controle do partido. Segundo, tem o apoio do MDB nacional. Terceiro, permanece como alternativa de mudança, com a imagem de novo. Uma pedra no caminho pode ser a questão da aliança política. Porque o principal aliado de 2018, o PP de Alexandre Baldy e Vanderlan Cardoso, hoje está mais próximo do governador Ronaldo Caiado. Resta ao emedebista uma aproximação com o PSDB de Jânio Darrot.

Jânio Darrot: prefeito de Trindade e presidente do PSDB em Goiás | Foto: Fábio Costa

3 — Jânio Darrot/PSDB — Em termos de estatura estadual, o único nome tucano que não tem desgaste é o do prefeito de Trindade, Jânio Darrot. A tendência é que seja o candidato do partido a governador, em 2022. É possível uma aliança com o MDB de Daniel Vilela? É possível, mas não será fácil. É provável que, por ser um prefeito eficiente e não ter desgastes morais, Daniel Vilela tente convencê-lo a ser seu vice.

Jorge Kajuru, senador pelo Cidadania  Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

4 — Jorge Kajuru/Cidadania — O senador diz que está mais preocupado com seu mandato atual e, por isso, não quer discutir o futuro. Mas afirma que eleitores o pressionam, com frequência, para disputar o governo do Estado.

Ronaldo Caiado, governador de Goiás | Foto: Assessoria do governo

5 — Ronaldo Caiado/DEM — O governador de Goiás tende a disputar a reeleição. Como está ajustando a máquina, a tendência é que o governo deslanche mais a partir de 2021, consolidando-se em 2022. Por isso, com mais um mandato, poderia fazer uma administração mais arrojada — ampliando o crescimento e o desenvolvimento de Goiás.

Rubens Otoni, deputado federal pelo PT | Foto: Reprodução

6 — Rubens Otoni/PT — O deputado federal está cansado de Brasília. A tendência é que não dispute a reeleição em 2022 e banque a candidatura de Kátia Maria. Ele seria candidato a governador. Trata-se de um político articulado. Há a possibilidade de o MDB de Daniel Vilela tentar atrai-lo para sua chapa majoritária. Ele seria candidato a vice ou a senador.

Vanderlan Cardoso, senador pelo PP | Foto: Fábio Costa | Jornal Opção

7 — Vanderlan Cardoso/PP — O problema de Vanderlan Cardoso é Alexandre Baldy e o problema deste é aquele. Não se terá uma chapa majoritária em 2022 com Vanderlan para governador e Baldy para senador ou vice-versa. A tendência é que apenas um deles, se ficarem os dois no PP, dispute cargo majoritário. O senador quer disputar o governo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.