2º turno em Brasília pode ter disputa entre duas mulheres: Flávia Arruda e Leila do Vôlei

Há quem aposte que Ibaneis Rocha pode ficar fora do segundo turno, porque o eleitorado não o considera “criativo” e “equilibrado”

Jair Bolsonaro e sua possível candidata a governadora do Distrito Federal, Flávia Arruda | Foto: Reprodução

Pesquisas qualitativas sugerem que os eleitores de Brasília estão “insatisfeitos” com o governador Ibaneis Rocha (MDB) — que não é visto como um gestor “criativo” e “equilibrado”. Portanto, querem trocá-lo. Ao mesmo tempo, duas pesquisas indicam que, apesar de a rejeição do gestor ser crescente, os eleitores ainda não vislumbram um sucessor melhor do que ele, eleitoralmente, pelo menos. Mas, quando o nome da ministra da Secretaria de Governo, a deputada federal licenciada Flávia Arruda (PL), é citado — sobretudo se se informa que é mulher do ex-governador José Roberto Arruda (chegou a ser preso, sob acusação de corrupção, mas permanece popular, como uma espécie de “novo” Joaquim Roriz, ou seja, um político referencial, em termos de administração eficiente e ousada) —, os eleitores admitem que pode ser uma alternativa. No caso de uma composição com Damares Alves e com o ministro da Justiça, Anderson Torres, na vice (hipótese mais remota), a chapa ficaria mais encorpada.

Um aliado de Flávia Arruda e José Roberto Arruda afirma que a dupla não se preocupa com o atual desgaste de Bolsonaro, pois acredita que, entre agosto e setembro de 2022, quando a maioria dos eleitores realmente define o voto, o presidente estará mais bem avaliado. “Com os brasileiros vacinados e com a economia em recuperação, é quase certo que Bolsonaro vai recuperar parte de seu capital eleitoral. Os Arruda contam com isto”, assinala um aliado.

Ibaneis Rocha: cada vez mais, o governador do DF é candidato a ser abandonado pelos aliados; pode ficar fora do segundo turno| Foto: Divulgação

Já um aliado de Ibaneis Rocha acredita que, no final, Flávia Arruda vai compor com ele, aceitando disputar o Senado ou a vice. “Não sei por qual motivo Flávia Arruda, se estiver bem nas pesquisas, vai carregar a alça do caixão político de Ibaneis Rocha em 2022. Acredito que Ibaneis Rocha vai começar em primeiro lugar, mas acabará não indo para o segundo turno. Minha aposta é que a grande adversária de Flávia Arruda vai ser a senadora Leila do Vôlei, do PSB. Não se pode subestimar também Izalci Lucas, do PSDB. Izalci sabe que não é tão forte quanto Ibaneis, Flávia Arruda e Leila do Vôlei. Mas, como quer disputar a reeleição para o Senado em 2026, precisa manter seu nome em evidência desde agora. Mas pode acabar surpreendendo, porque é um político articulado e que sabe reunir apoios. Nada tem de amador.”

Leila do Vôlei: a senadora é popular em Brasília | Foto: Reprodução

A senadora Leila do Vôlei é bem avaliada e, se contar com o apoio do senador José Antônio Reguffe (Podemos) — um outsider na política (conhecido como “Robespierre de Brasília”, por ser tido como “incorruptível”), cujo projeto é mais pessoal do que de grupo —, poderá se tornar uma candidata competitiva. Um de seus cabos eleitorais deverá ser o senador Jorge Kajuru (Podemos), que é popular em Brasília e no Entorno do Distrito Federal.

Há quem aposte que a disputa do segundo turno em Brasília terá duas mulheres — Flávia Arruda e Leila do Vôlei. A tendência é que Ibaneis Rocha apoie a primeira no segundo turno. “Não se deve subestimar Ibaneis Rocha, porque, em campanha, movimenta uma dinheirama, o que, ao menos em Brasília, tem seu ‘valor’”, diz um deputado distrital. Por sinal, pró-governador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.