Visões da poesia de Yeats (2)

Visões da poesia de Yeats (2)

Nesta segunda crônica sobre W. B. Yeats, obedeço à conclamação que o poeta faz em “O balão da Mente”: “Mãos, façam o que vos é pedido:/Tragam o balão da mente/Que intumesce e se arrasta ao vento/Para o seu estreito alpendre”