A Teca, uma árvore de rápido crescimento e alta rentabilidade, tem se tornado escolha atrativa para agricultores e empresários do agronegócio devido às suas características. Sua madeira, altamente valorizada no mercado internacional, é reconhecida pela durabilidade, resistência e beleza estética. Originária do Sudeste Asiático, essa espécie encontrou solo fértil em terras brasileiras desde sua introdução nos anos 1970, oferecendo oportunidades significativas para o desenvolvimento econômico e a sustentabilidade ambiental.

A madeira de reflorestamento de teca desperta o interesse de produtores e investidores devido ao seu valor comercial. Atualmente, o preço do metro cúbico de madeira de Teca varia de US$ 400 a US$ 3.000, dependendo da qualidade. De acordo com a Embrapa Florestas, a maioria dos plantios no Brasil está concentrada nos estados de Mato Grosso e Pará. O uso de clones de alto desempenho e o aprimoramento de técnicas de plantio e manejo têm possibilitado ao Brasil alcançar produtividades acima da média mundial.

Uma das principais vantagens da produção de teca para o agronegócio é sua capacidade de sequestro de carbono. Por ser uma árvore de crescimento rápido, a teca absorve grandes quantidades de dióxido de carbono da atmosfera durante seu ciclo de vida, contribuindo para mitigar os efeitos das mudanças climáticas. Além disso, quando a madeira é colhida de forma sustentável e utilizada em produtos de longa duração, como móveis de alta qualidade, continua a armazenar carbono, auxiliando na redução das emissões de gases de efeito estufa.

Além do valor econômico e ambiental, a teca oferece oportunidades na área da biomassa. O uso da madeira de teca como fonte de energia renovável tem ganhado destaque, especialmente em um contexto global onde a transição para fontes de energia limpa é uma prioridade. A queima de biomassa de teca para geração de eletricidade ou calor pode reduzir significativamente a dependência de combustíveis fósseis, contribuindo para a diversificação da matriz energética.

No entanto, é crucial abordar os desafios associados à produção de teca. O manejo florestal inadequado pode resultar em degradação do solo, perda de biodiversidade e outros impactos ambientais adversos. Portanto, é fundamental que os produtores adotem práticas sustentáveis, como o plantio em sistemas agroflorestais, a proteção de áreas de conservação e a implementação de técnicas de manejo que promovam a saúde do ecossistema.

A produção de Teca é uma atividade que combina desenvolvimento econômico e sustentabilidade ambiental, aproveitando o potencial da espécie para exportação e uso como biomassa, ao mesmo tempo em que contribui para o sequestro de carbono e a conservação dos recursos naturais. A teca é uma espécie que pode trazer benefícios para produtores rurais, sociedade e meio ambiente.

Leia também:

Produtividade por hectare

Segundo a Revista da Madeira, a produtividade média da madeira de reflorestamento Teca está entre 250 a 375 m³/ha em um ciclo de 20 ou 25 anos ou 10 a 15 m³/ha/ano, sendo que 60% da produção deve ser colhida no final do ciclo. Se estendido o ciclo, a madeira aumenta o diâmetro e agrega ainda mais o valor. 

O primeiro desbaste é feito no 5º ano, sendo que o aspecto da madeira de reflorestamento Teca nessa fase é roliço e ainda não tem grande valor comercial, mas pode ser usada como mourões, escoras, vigamentos de construções rústicas. O segundo desbaste acontece aos 8 anos, com essa idade a madeira pode ser serrada para a produção de sarrafos, lambris, painéis de sarrafos colados, etc. 

Os outros desbastes ocorrem nos anos 10, 11, 14, 17, 20, 22 e 25. A partir do terceiro desbaste, a madeira pode ser utilizada para fabricação de móveis finos.

Entretanto, os custos de implantação e manutenção são amortizados nos segundo e terceiro desbastes. O quarto desbaste e o corte final concentram o resultado econômico da madeira de reflorestamento Teca, de acordo com o Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF). 

No Brasil, em Mato Grosso, foi onde a madeira de reflorestamento Teca deu mais certo. Tanto que o ciclo de corte das árvores na região é de 20 a 25 anos contra 60 a 100 anos em outras regiões. Além disso, seu IMA (Incremento Médio Anual), tem os melhores índices de desenvolvimento mundiais, entre 10 e 15m3/ano.

Histórico e características da Teca

As plantações de Teca iniciaram-se no Brasil em 1968, por meio da Cáceres Florestal S/A, localizada em Mato Grosso. A empresa desenvolvia um programa de pesquisa na época com o intuito de identificar as espécies mais promissoras para serem plantadas naquela região. A Teca se destacou na pesquisa por sua rusticidade e rápido crescimento, além de sua madeira ter preço elevado no mercado internacional. 

A madeira de reflorestamento Teca é uma árvore de grande porte, pertence à espécie arbórea da família Verbenaceae que é nativa das florestas tropicais situadas entre 10° e 25°N no subcontinente índico e no sudeste asiático.

O alburno é estreito e claro, bem distinto do cerne, cuja cor é marrom viva e brilhante. Por isso os desenhos da madeira são considerados bonitos e atraentes. Mesmo as madeiras dos desbastes já possuem propriedades comparáveis à espécies de grande valor comercial do Brasil, segundo a UFV (Universidade Federal de Viçosa).