O Sindicato dos Gestores Governamentais de Goiás (SindGESTOR) realiza, nesta quarta-feira 28, eleições para a Diretoria Executiva e os conselhos Fiscal e de Ética para a gestão 2024/2027. Foi registrada apenas uma chapa, a IntegrAÇÃO, liderada pelo gestor jurídico Edmilson Moura, presidente, e com Gustavo Vieira Tomás, gestor de tecnologia da informação, na vice.

“A chapa nasceu do anseio de seus membros por uma participação mais ativa nos rumos da carreira, e pela revitalização e modernização do sindicato. Reconhecemos os méritos das diretorias responsáveis por conduzir a categoria ao patamar em que se encontra, ao tempo em que identificamos a necessidade de avançar em vários aspectos, delineados nos objetivos que apresentamos no nosso Plano de Gestão”, explica Edmilson.

A chapa é composta ainda dos seguintes cargos e seus candidatos: diretor Administrativo-Financeiro: Fabiano Ribeiro Bueno – gestor de tecnologia da informação; diretor de Articulação Institucional: Eduardo Aires Berbert Galvão – gestor de planejamento e orçamento; diretora de Assuntos Jurídicos: Carla Ferreira Lopes da Silva Queiroz – gestora jurídica; diretor de Comunicação Social: Breyner Jackson Rezende Monteiro – gestor de tecnologia da informação; diretora de Assuntos Profissionais: Giselle Rios Monteiro de Deus Rocha – gestora fazendária; diretora de Estudos e Pesquisas: Larissa Neves Costa – gestora de planejamento e orçamento; diretora Sociocultural: Alessandra dos Santos Paz Esteves Scartezini – gestor de finanças e controle; diretor suplente 01: Paulo André Aires Medeiros – gestor de finanças e controle; diretora suplente 02: Andrea Bonanato Estrela – gestora de fiscalização, regulação e controle.

Para o Conselho Fiscal são cinco candidatos: Idelma Rodrigues – gestora de finanças e controle; José Santana Filho – gestor de finanças e controle; Marcos Medeiros da Silva – gestor de finanças e controle; Milena Guilherme Dias – gestora jurídica; Rossana Farias de Oliveira Martins – gestora pública.  

Ao Conselho de Ética são quatro: Érika Martins Baeta – gestora jurídica; Luís Fernando Bertocco Carregal – gestor jurídico; Marcos Vieira Júnior – gestor jurídico; Maria do Carmo Rodrigues Póvoa – gestora jurídica. 

A votação será realizada de forma totalmente on-line, pelo sistema Eleja, das 8h às 18h. 

Perfil

Edmilson é um dos fundadores e foi o primeiro presidente da entidade, quando se chamava Associação dos Gestores Governamentais de Goiás (Agesggo), no período de 2002, quando a carreira foi criada, a 2005. “Desde então, mesmo sem cargo de direção, participei ativamente de todos os momentos importantes da categoria, inclusive das negociações dos planos de cargos e de remunerações”, frisa ele. 

Gestor de carreira, ele é bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUCGO) e pós-graduado em Ciências Penais; Direito Administrativo; Direito Eleitoral; Mediação, Negociação e Arbitragem; e em Mediação, Gestão e Resolução de Conflitos. Exerceu ainda os cargos de analista judiciário, no Supremo Tribunal Federal (STF); chefe de Gabinete no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP); e assessor Jurídico na Assembleia Legislativa de Goiás. 

Na carreira de gestor jurídico, no Estado de Goiás, desde 2002, foi chefe do Setor de Licitações da Secretaria de Segurança Pública; diretor administrativo e Financeiro da Polícia Civil; chefe da Assessoria Jurídica da Secretaria da Segurança Pública; gerente de Licitações, Contratos e Convênios da Secretaria de Estado da Saúde; chefe de Gabinete da Controladoria-Geral do Estado; superintendente-executivo da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação. Atualmente é gerente de Normas e Padronização, na Secretaria de Estado de Administração (Sead). 

Estratégica

A carreira existe há 22 anos na administração pública do estado, e, em média, 30% dos gestores governamentais ocupam cargos ou funções de direção, coordenação e liderança. A categoria é composta por servidores de alta qualificação profissional, selecionados via concurso público para ocupar funções exclusivas de estado, em posições estratégicas de direção e liderança, e de alta complexidade, no âmbito da formulação de políticas públicas, bem como de sua implementação, acompanhamento e avaliação.

Leia mais: