Polícia apresenta à sociedade goiana o suposto serial killer, responsável pela morte de 39 pessoas

Suposto serial killer Tiago Henrique teria tentado suicídio, mas foi socorrido por bombeiros | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Suposto serial killer Tiago Henrique teria tentado suicídio, mas foi socorrido por bombeiros | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

Após 70 dias de investigação, a Polícia Judiciária da Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) apresentou na quinta-feira, 16, o suposto serial killer Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, que teria assassinado ao menos 39 pessoas em Goiânia. No momento da prisão, realizada na terça-feira, 14, em sua residência no Setor Conjunto Vera Cruz, a polícia encontrou com o suspeito uma arma e uma moto utilizadas nos crimes. Na madrugada do dia seguinte, Tiago Henrique tentou suicídio na Delegacia Estadual de Re­pressão a Narcóticos (De­narc), no Complexo de Delegacias Es­pecializadas, no Setor Cidade Jar­dim. Ele cortou os pulsos com o vidro de uma lâmpada. Ele estava detido em uma cela i­solada. Socorrido por uma equipe do Corpo de Bom­bei­ros, o suspeito levou seis pontos nos braços, o que não adiou sua apresentação à população.

Na quarta-feira, 15, a arma foi analisada pela superintendente da Polícia Técnico-Científica de Goiás, Itatiana Pires, que confirmou o nome de seis jovens que foram assassinadas “efetivamente” por essa arma: Ana Lídia Gomes, 14 anos; Isadora Cândido, 15; Juliana Dias, 22; Rosirene Alberto, 29; Thaynara da Cruz, 13; Thamara Conceição, de 17. Em seu depoimento, que durou mais de sete horas, Tiago afirmou que foi abusado sexualmente e que mantinha relações homoafetivas. “Ele teve relacionamento sexual com homens e, inclusive, matou um dos seus parceiros”, disse o delegado titular da Delegacia Estadual de Investigação de Homícidios (DIH), Murilo Polati.

Ainda no depoimento, o então vigilante do grupo Fortesul confessou os crimes e revelou que praticava os assassinatos após consumo de bebidas alcoólicas. Representante da empresa disse que foi surpreendido por Tiago pertencer ao quadro de funcionários. Emocionados, os familiares, que acompanharam a apresentação do suspeito, afirmaram que, apesar do sofrimento, respiram mais aliviados.

Justiça suspende venda de áreas públicas em Goiânia

Em votação unânime, os desembargadores da 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) mantiveram, na quarta-feira, 15, a liminar que suspendeu a venda de 18 áreas públicas pela Prefeitura de Goiânia. Em maio, o projeto de lei do Paço foi aprovado em segunda votação na Câmara Municipal. O município havia recorrido contra a decisão do juiz Fabiano Abel de Aragão, que questionava se a cidade conta, atualmente, com quantitativo de postos de saúde, delegacias e escolas públicas suficientes para atender a todos os bairros, visto que, inicialmente, as 18 áreas citadas teriam como destino a construção destes empreendimentos. Com a venda das áreas, a prefeitura pretendia solucionar a crise financeira vivenciada pela gestão do prefeito Paulo Garcia (PT).

40 caminhões reforçam limpeza urbana

Após promessas, já antigas, que entregaria novos caminhões para melhorias na limpeza urbana da capital goiana, o presidente da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), Ormando Pires apresentou, juntamente com o prefeito Paulo Garcia (PT), 40 novos caminhões. A nova frota se junta a outros 27 veículos já disponíveis para a coleta de lixo orgânico. Os automóveis são mais modernos que os antigos e transportam até 12 toneladas de carga. Os caminhões passam a ser propriedade da Prefeitura de Goiânia, dispensando a locação de veículos por terceiros. Dos 67 caminhões, 10 ficaram na reserva. A promessa aos goianienses era que a nova frota fosse entregue em julho e, adiada, ficou para agosto, mas também não foi cumprida.

Dilma tem “amarelão” após debate com Aécio

A candidata do PT à Pre­sidência da República, Dilma Rousseff, passou mal na quinta-feira, 16, após um debate acalorado no SBT, em São Paulo, com o adversário tucano Aécio Neves. A petista teve uma crise glicêmica e os médicos dela atribuíram o episódio ao calor e ao cansaço.

Os dois candidatos levaram acusações pessoais para o segundo debate do turno final da eleição, em clima que remeteu à disputa entre Fernando Collor de Mello e Lula da Silva, em 1989. Dilma insinuou que o rival foi apanhado dirigindo sob efeito de droga e álcool e que beneficiou parentes em seu governo. O senador Aécio respondeu que um irmão de Dilma foi funcionário fantasma da prefeitura petista de Belo Horizonte e a acusou de patrocinar a “mais baixa das campanhas eleitorais” da história.

Documento da Igreja causa polêmica

Líderes católicos conservadores reagiram à divulgação de um documento do Vaticano que propõe uma abertura em relação aos divorciados e aos homossexuais. O documento preliminar “relatio” foi escrito por uma comissão de bispos após uma semana de discussões na Assembleia-Geral Ex­traordinária do Sínodo. Segundo o secretário especial do Sínodo, dom Bruno Forte, o documento ressalta que os homossexuais “têm dons e qualidades para oferecer à comunidade cristã” e que a união entre gays oferece “apoio precioso para a vida de cada um dos parceiros”.

semana1

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.