Alerta de chikungunya em Goiás

As chuvas e o aumento do número de casos autóctones (contraídos no Brasil) de febre chikungunya alertaram as autoridades de saúde em Goiás. O número de casos na Bahia, 33 confirmados, é um exemplo do fluxo migratório da doença para os municípios goianos. De junho até o fim de setembro, foram notificados quatro casos da doença no Estado. Todos registrados na capital goiana. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), um dos casos foi descartado, um confirmado e os outros dois estão sob investigação. O objetivo é mobilizar a população para eliminar o criadouro dos vetores. A febre é uma infecção viral transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti (dengue) e Aedes albopictus (malária); ambos encontrados em Goiás. Os sintomas são similares aos da dengue: febre e dores nas articulações.

Ebola deixa 3,7 mil crianças orfãs

Pelo menos 3,7 mil crianças da Guiné-Conacri, da Libéria e de Serra Leoa perderam um dos seus pais, devido ao vírus ebola. O dado foi divulgado na terça-feira, 20, pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Segundo o diretor regional do Unicef, Manuel Fontai­ne, como a epidemia se intensificou nas últimas semanas, o número de órfãos por causa do vírus pode duplicar até meados de outubro. “Sabemos que os números que temos são apenas a ponta do iceberg”, afirmou em videoconferência a partir de Dacar, capital do Senegal. Um dos principais problemas é o repúdio que os menores enfrentam, pois familiares e vizinhos têm receio em acolhê-los e contraírem a doença. Em seis meses, o ebola infectou 6.553 pessoas.

Tayrone renuncia e pode beneficiar Marconi nas eleições

O imbróglio no PT entre Paulo Garcia e Tayrone di Martino (esquerda) culminou na renúncia do vereador à vice de Antônio Gomide: para seu lugar foi escolhido José do Carmo (direita)|Fotos: Fernando Leite/Jornal Opção

O imbróglio no PT entre Paulo Garcia e Tayrone di Martino (esquerda) culminou na renúncia do vereador à vice de Antônio Gomide: para seu lugar foi escolhido José do Carmo (direita)|Fotos: Fernando Leite/Jornal Opção

A última semana antes do domingo de eleições foi marcada, em Goiás, pelo imbróglio entre o prefeito Paulo Garcia e o vereador Tayrone di Martino, ambos do Partido dos Traba­lha­dores (PT). Depois de idas e vindas, o vereador protocolou, na quarta-feira, 1° de outubro, o pe­dido de renúncia à sua candidatura a vice-governadoria do Es­tado na chapa encabeçada por Antônio Gomide (PT). Na ter­ça-feira, Tayrone havia anunciado que renunciaria. Porém, poucas horas depois, após uma reunião com a executiva petista, ele recuou. No dia seguinte, o ve­reador não compareceu à Câmara de Goiânia e não chegou a fazer qualquer comunicado sobre sua decisão. O aparente motivo foi a confusão com o prefeito da capital goiana, Paulo Garcia, e com a executiva do par­tido, por ser contrário ao projeto de reformulação das alíquotas do IPTU e ITU, proposto pela Prefeitura. O maior be­ne­ficiado com a renúncia seria o go­vernador Marconi Perillo (PSDB), a quem se reverteria a maior parte dos votos que seriam dedicados a Go­mi­de, especialmente em Anápolis, onde o petista foi aprovado com boa gestão. Porém, o tucano apenas será beneficiado caso o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO) não acate o pedido de oficialização do novo candidato a vice-governador na chapa de Gomide, o advogado José do Carmo, e anule os votos do petista. O desfecho da história é incomum, pois nunca o TER-GO oficializou uma candidatura após as eleições.

Após erupção, pessoas continuam desaparecidas

Autoridades informaram na sexta-feira, 3, que 16 pessoas continuam desaparecidas na região próxima ao cume do Monte Ontake, no Japão, onde um vulcão entrou em erupção no sábado, 27. O número de mortos, em razão do desastre natural, chega a 47. Segundo a agência meteorológica do país, o vulcão começou a expelir fumaça, rochas incandescentes e cinzas na madrugada de sábado. Centenas de pessoas caminhavam próximo ao vulcão no momento da erupção.

Entretanto, a maioria conseguiu abandonar a região ou foi retirada do local por meio da ajuda de helicópteros militares. O Monte Ontake, se­gundo vulcão mais alto do Japão, superado apenas pelo Monte Fuji, tem 3.067 metros e fica situado na Região Cen­tral do país.
A última grande erupção do Ontake foi em 1979, quando o vulcão expeliu cerca de 200 mil toneladas de cinzas.

Improbidade administrativa na saúde

Os últimos dois ex-secretários de Saúde do Estado, Antônio Faleiros Filho (PSDB) e Irani Ribeiro de Moura, e o ex-diretor-geral do Hospital Geral de Goiânia (HGG), André Luiz Braga das Dores, foram acionados pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) por improbidade administrativa. Os três gestores, juntamente com outros três ex-secretários de Estado da Saúde, também foram acionados a ressarcir danos causados ao Tesouro Estadual em vista de sua responsabilidade civil. Os ex-secretários Cairo Alberto de Freitas, Hélio Antônio de Sousa e Maria Lúcia Carnelosso deverão ressarcir os danos causados ao erário – um valor de até R$ 5,06 milhões. Segundo o promotor de Justiça Fernando Krebs, autor da ação, eles não tomaram as “devidas providências para a utilização de aparelhos indispensáveis ao pleno funcionamento do Hospital Geral de Goiânia”. Dentre eles, o de ressonância magnética, de raios-X panorâmico e camas elétricas.

Falta de energia leva a falta d’água

Mais de 35 quedas de energia, no mês de setembro, comprometeram a rede de abastecimento de água da Saneago. De acordo com levantamento realizado pela companhia, diferentes regiões da capital goiana e do município de Aparecida de Goiânia ficaram nove dias sem água, apenas em setembro. O presidente da estatal, Júlio Cézar Vaz de Melo, afirmou que não há racionamento de água em Goiânia. Mesmo com a seca, o presidente diz que tanto o sistema João Leite, quanto o Meia Ponte estão funcionando plenamente. Devido a “problemas pontuais”, que afetaram reservatórios, estações de tratamento e centros de distribuição, em reação cadeia, o fornecimento de água foi comprometido.

semana2

Deixe um comentário