Carne Fraca: Temer demite superintendente de Goiás envolvido em esquema

Exoneração de Júlio Cesar Carneiro consta no Diário Oficial da União desta segunda-feira

O governo federal demitiu dois superintendentes do Ministério da Agricultura envolvidos na Operação Carne Fraca, dentre eles Júlio Cesar Carneiro, de Goiás. A exoneração está na edição desta segunda-feira (20/3) do Diário Oficial da União.

Também foi afastado Gil Bueno, do Paraná. Ambos os nomes são indicações de partidos da base aliada do governo federal.

Medidas como essa já eram esperadas por parte do governo do presidente Michel Temer (PMDB) como paliativo para o impacto negativo da operação da Polícia Federal.

No domingo (19), o peemedebista participou de uma série de reuniões com ministros, representantes do setor agropecuário e diplomatas de países importadores de carne brasileira para discutir a repercussão da operação e apresentar as medidas que seriam adotadas pela União.

Em entrevista recente, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, saiu em defesa do sistema de inspeção agropecuária brasileiro e disse que a fiscalização é “forte, robusta e séria”.

“O que aconteceu foi desvio de alguns servidores, de algumas empresas, nós temos que discutir como foi que isso aconteceu. Mas eu posso garantir com toda tranquilidade: eu não deixarei de consumir e recomendo que você também não deixe porque não há risco nenhum”, afirmou.

Na sexta-feira (17), 33 fiscais envolvidos no esquema investigado pela Polícia Federal já haviam sido afastados, suspeitos de fiscalização irregular de frigoríficos e de liberar licenças fora dos padrões sanitários.

A operação Carne Fraca investiga o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos. Alguns dos principais grupos do setor do país estão na mira da operação, como o BRF (que detém as marcas Sadia e Perdigão) e o JBS (Seara, Swift, Friboi e Vigor).

Deixe um comentário

Maria José dos Santos Rêgo Rêgo

Mas nada de demitir os ministros envolvidos em corrupção. Aliás ele mesmo por motivo igual, deveria se demitir.

wpDiscuz