O número total de assinantes de plataformas de streaming cresceu 72% nos sete principais mercados da América Latina neste ano. No Brasil, se comparado a 2022, também houve um aumento, com uma pessoa chegando a assinar, em média, 8 serviços de streaming. Os dados são da consultoria Comscore, patrocinada pela Siprocal.

No cenário brasileiro, dos oito serviços de streaming em média, 4,7 são pagos, enquanto 3,5 são de plataformas gratuitas com publicidade. O Brasil se destaca por consumir mais conteúdo pago em comparação com outros mercados da região, como Argentina, Uruguai, Chile, Colômbia, Peru e México.

Ingrid Veronesi, diretora sênior da Comscore no Brasil, comentou sobre esse crescimento. “O crescimento da TV conectada (CTV) e do streaming segue impressionando quem acompanha esse mercado de perto. Vemos agora os consumidores com poder para escolher o que lhes é mais conveniente”, afirmou.

A pesquisa também revelou que, na categoria de CTV, 96% dos espectadores brasileiros consomem conteúdo por meio de Smart TVs, 20% utilizam dispositivos de streaming (como Roku, Fire TV, Chromecast, etc.), 16% acessam por meio de aparelhos fornecidos por operadoras de telecomunicação, e outros 16% recorrem a consoles de videogames.

Nos sete principais mercados da América Latina, o crescimento anual de usuários de CTV atingiu 34% em 2023, alcançando aproximadamente 200 milhões de pessoas. Apenas no Brasil, esse número chega a 66 milhões de usuários.

Outros dados revelados

A emergência de pacotes mais baratos e com anúncios cria oportunidades para empresas divulgarem seus produtos nas plataformas de streaming. O levantamento da Comscore mostra que 61% dos espectadores na América Latina lembram de ter visto a publicidade anterior ao programa que assistiram na TV conectada . Além disso, a aceitação de anúncios é melhor do que em mídias tradicionais.

Na categoria de CTV, a pesquisa da Comscore mostra que 96% dos espectadores brasileiros consomem conteúdo por televisores inteligentes (“Smart TV”), 20% por dispositivos de streaming (Roku, Fire TV, Chromecast, entre outros), 16% por aparelhos fornecidos por operadoras de telecomunicação e 16% por consoles de videogames.