Wellington Peixoto é favorito para presidir Câmara de Goiânia. Vice pode ser do PSDB

Negociações se aprofundarão nesta semana, mas grupos parecem ter dado sinal positivo ao peemedebista. Objetivo é compor mesa plural

Vereador Wellington Peixoto: pode ser presidente? Hoje sim. Amanhã, ninguém sabe | Foto: Marcello Dantas

O vereador Wellington Peixoto (PMDB) passou a ser o favorito para presidir a Câmara Municipal de Goiânia. Articulando junto a diversos grupos — aliados do prefeito eleito, Iris Rezende (PMDB), e da oposição –, há grandes chances de compor um chapão único.

Parlamentares reconheceram ao Jornal Opção que a possibilidade de um tucano ser indicado à vice é real. A tese, como em 2014, seria formar uma mesa plural, fortalecida e que prestigie as bancadas — numa tentativa, sublinhe-se, de maior independência do Executivo.

Os grupos que se formaram para a eleição, G-13 (que pode ser G-8 ou G-16) e o do também candidato Milton Mercêz (PRP), parecem ter dado sinal positivo a Wellington Peixoto, em troca de espaço, claro.

Forçoso reconhecer que será difícil compor com todos os 22 partidos que estarão na Câmara a partir de 2017. Por isso, o cenário é nebuloso, mas nomes como o do próprio Milton, Dra. Cristina (PSDB), Elias Vaz (PSB), Zander (PEN), Paulinho Graus (PDT) e Romário Policárpo (PTC) são cotados para, ou compor a mesa diretora, ou comandar importantes comissões — como a de Constituição e Justiça e a Mista.

Os outros dois peemedebistas, Clécio Alves e Andrey Azeredo, ainda tentam se viabilizar, mas o primeiro tem grande rejeição (foi considerado um presidente ditador) e o segundo, pouco prestígio (é novato e indicação da futura primeira-dama e ex-deputada, Dona Íris).

Iris Rezende chamou o trio do PMDB para uma conversa na manhã desta segunda-feira (26/12): ao que tudo indica, o prefeito eleito resolveu entrar de vez na eleição da Casa. A conferir.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.