Vítimas do Mutirama seguem internadas sem previsão de alta

Não houve alteração no quadro clínico de mulher e criança gravemente feridas no acidente com um dos brinquedos do parque no último dia 26

Instalações Hospital de Urgência de Goiânia | Reprodução: Divulgação Assessoria

Boletim médico divulgado na manhã desta quinta-feira (3/8) pelo Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) informa que as duas vítimas do acidente no Parque Mutirama seguem internadas sem previsão de alta. Não houve alteração no quadro clínico das pacientes.

A menina L.G.S, de nove anos, está internada em um leito de Enfermaria e seu estado de saúde é regular. Ela está orientada, consciente, verbalizando, se alimentando por via oral e respirando de forma espontânea.

Já Iraci Francisca da Conceição, de 56 anos, também na enfermaria, respira com auxílio de cateter de oxigênio. Na semana passada, Iraci Francisca passou por duas cirurgias na perna direita, uma para correção da fratura de fêmur e outra para reconstrução muscular do membro. Até o momento, nenhum membro foi amputado.

Tragédia

Na tarde do último dia 26 de julho, 13 pessoas ficaram feridas, sendo três em estado grave, após um brinquedo no Parque Mutirama quebrar e arremessar visitantes no chão.

Segundo informações preliminares, a atração chamada “Twister”, que eleva cabines no ar e gira, sofreu uma pane, jogando as pessoas ao chão. Vídeos postados nas redes sociais mostram o desespero de quem estava no local após o ocorrido.

Desde então, o Ministério Público do Trabalho (MPT) determinou a interdição do parque e o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) propôs ação civil pública pedindo que a Justiça conceda medida para que o parque permaneça interditado até que todos os brinquedos sejam devidamente periciados por profissionais técnicos capacitados e que sejam realizadas as manutenções.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.