Vilmar Rocha diz que aliados de Ronaldo Caiado são responsáveis pela crise da Celg

Candidato ao Senado pela Base Aliada ao governador Marconi Perillo, Vilmar Rocha deixou de lado o tom mais conciliador e partiu em defesa do governo de Goiás em seu último programa eleitoral para o rádio e TV. O motivo da mudança de tom foram as críticas do candidato do DEM, Ronaldo Caiado, ao acordo do Estado com a União no caso da Celg.

Vilmar usou todos os seus 3’40’’ de propaganda eleitoral gratuita para mostrar “toda a verdade sobre a situação da Celg”. O programa afirma que todo o problema da Celg começou com o PMDB e a venda da usina de Cachoeira Dourada, em 1997. “Com a entrega de Cachoeira Dourada, a Celg passou a comprar energia que antes ela mesmo produzia”, afirma o texto narrado no programa de Vilmar Rocha. “E para piorar a situação, foi obrigada pelo contrato de venda a pagar pela energia um valor 67% maior que o preço de mercado”.

O programa afirma ainda que, “com seriedade e competência” o governo Marconi investiu R$ 3,4 bilhões na recuperação da empresa e agora conclui um acordo com o governo federal que permitirá a recuperação completa da Celg.

Para concluir, Vilmar Rocha aparece dizendo que “essa é a verdadeira situação da Celg” e afirma que o adversário “tentou distorcer a verdade com intenções eleitoreiras”. Vilmar diz ainda que o outro candidato tratou este assunto de maneira “oportunista e politicamente irresponsável”.

Nos bastidores, Vilmar foi cumprimentado pelo posicionamento e deixou claro que, caso seja necessário, usará novamente seu programa para defender as ações do governo e contra argumentar as denúncias “infundadas” de Ronaldo Caiado.

Uma resposta para “Vilmar Rocha diz que aliados de Ronaldo Caiado são responsáveis pela crise da Celg”

  1. Avatar Moacir Romeiro disse:

    Desespero do Vilmar Rocha. O senhor José Paulo Loureiro, um dos que afundaram a CELG, não é ligado a Ronaldo Caiado, mas sim a Marcôni. O jornal Opção expõe-se ao ridículo ao escrever isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.