Vereadores rebatem Agenor Mariano: “Oportunista, incoerente e sem credibilidade”

Geovani Antônio, Elias Vaz, Djalma Araújo e Pedro Azulão Jr. criticaram, durante sessão, o vice-prefeito da capital e o PMDB — que jogam com Paulo Garcia

Vereadores Djalma Araújo (Rede), Elias Vaz (PSB), Geovani Antônio (PSDB) e Pedro Azulinho (PSB): PMDB é oportunista | Fotos: Câmara Municipal de Goiânia

Vereadores Djalma Araújo (Rede), Elias Vaz (PSB), Geovani Antônio (PSDB) e Pedro Azulinho (PSB): PMDB é oportunista | Fotos: Câmara Municipal de Goiânia

O vereador Geovani Antônio (PSDB) subiu à tribuna da Câmara Municipal de Goiânia na manhã desta quinta-feira (12/11) para “desmascarar” o vice-prefeito da capital, Agenor Mariano (PMDB).

Segundo o tucano, Agenor deveria “pedir desculpas” à sociedade goianiense por ter criticado o projeto de 2015 do prefeito Paulo Garcia (PT) que atualiza a Planta de Valores e reajusta o IPTU/ITU.

Em entrevista no começo desta semana, o peemedebista sugeriu que o suposto “aumento” de impostos por parte do poder Executivo municipal é “falta de sensibilidade”.

No entanto, Geovani Antônio fez questão de lembrar que, em 2014, foi o próprio vice-prefeito quem assinou e encaminhou uma proposta para aumentar o IPTU/ITU em até 1000% em algumas regiões.

Elias Vaz (PSB) pediu uma parte para corroborar com as críticas ao vice-prefeito. “Quando vai se avizinhando o período eleitoral, parece que acontece uma mágica nos políticos. Falta coerência ao vice-prefeito, ele deveria mesmo pedir desculpas à sociedade”, completou.

Pedro Azulão Júnior (PSB) e Djalma Araújo (Rede) também usaram a tribuna para criticar a postura do PMDB, que se diz aliado, mas vai à imprensa criticar projeto da prefeitura.

“Agenor, larga de ser oportunista! Agora que é uma matéria que tem clamor popular, ele pega dois canivetinhos, põe as maguinhas de fora e ataca o prefeito?”, questionou o pessebista. Azulinho destacou, ainda, que o PMDB tem “duas bandas”:

“Vocês [peemedebistas] não vivem sem cargos. Por que não devolvem os cargos para a prefeitura? Sejam homens e aí vocês teram moral. Que base é essa? Antes de criticar, deveriam ser coerentes. Agenor é igual bananeira, pende para onde o vento balança.”

Oposição à atual administração, Djalma fez questão de externar indignação com a posição do vice-prefeito Agenor Mariano e de seu partido, o PMDB. “Agora, que as eleições estão chegando e já tem candidato, o PMDB, de forma oportunista, virou ‘bonzinho para o povo’. Mas, de bonzinho não tem nada. Não tem responsabilidade com a população”, criticou.

Para o parlamentar, a ação do partido foi orquestrada pelo ex-prefeito e pretenso candidato a 2016. “PMDB mostra o oportunismo de sempre. Se tivessem posição coerente, entregariam os cargos, mas não o fazem… E tudo a mando do nosso imperador e coronel Iris Rezende Machado. O PMDB é maquiavélico, sempre foi”, concluiu ele.

Djalma Araújo alertou, ainda, o prefeito Paulo Garcia: “Está sendo traído, está sendo apunhalado pelo PMDB”.

Outro lado

Atordoados, dois vereadores do PMDB — Denício Trindade e Wellington Peixoto — até tentaram defender o partido. Mas nem sequer comentaram sobre as declarações contra o vice-prefeito, se restringindo apenas a dizer o partido “é o maior de Goiás e de Goiânia” e que “não é maquiavélico”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.