Vereador quer proibir fabricação, venda e uso de fogos de artifício em Goiânia

Projetos polêmicos foram apresentados nesta quinta-feira pelo vereador Zander Fábio

Vereador Zander Fábio (PEN) | Foto: Alberto Maia

Dois projetos apresentados nesta quinta-feira (23/3) pelo vereador Zander Fábio (PEN), na Câmara Municipal de Goiânia, querem proibir a fabricação, venda e uso de fogos de artifício e outros artefatos pirotécnicos na capital.

O primeiro altera o artigo 53 da Lei Complementar número 14 para proibir, em qualquer hipótese, a queima, o manuseio e a utilização, por quaisquer meios, de fogos de artifício, bombas, morteiros, busca-pés e demais artefatos que causem poluição sonora, através de estouros, estampidos e outros.

A matéria também irá proibir, caso seja aprovada, soltar balões impulsionados por material incandescente, fazer fogueiras sem prévia autorização do órgão municipal competente e a utilização de aparelhos celulares e similares eletrônicos em auditórios, teatros e cinemas.

“A poluição sonora causada pelos objetos vedados nesta lei afeta gravemente os moradores de nossa capital, que já são naturalmente submetidos a constante barulho excessivo, em face da própria estrutura da cidade. Além dos humanos, os animais, como cães, gatos e aves, são gravemente afetados, sendo que o barulho pode levá-los à surdez, stress, ansiedade, alteração cardíaca e até a morte”, diz o vereador.

Zander ressalta, ainda, que centenas de pessoas perderam a vida e milhares foram gravemente lesionadas em acidentes com queimaduras, envolvendo fogos de artifício e demais artefatos pirotécnicos.

O outro projeto dispõe sobre a proibição de instalação de indústrias e comercialização de explosivos, fogos de artifício, bombas, morteiros, busca-pés e demais artefatos dentro do perímetro urbano de Goiânia.

Em sua justificativa, Zander Fábio argumenta que , de acordo com as normas de segurança básica, é aconselhável que os pólos industriais que atuem na fabricação de produtos que envolvam a manipulação de produtos tóxicos e de risco, sejam instalados fora do perímetro urbano, a fim de resguardar a saúde e integridade da comunidade. (Da Câmara de Goiânia)

2
Deixe um comentário

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Lourdes Sprenger

Finalmente nas Câmaras Municipais está iniciando a discussão sobre os fogos de artificio que matam, sequelam, perturbam pessoas e animais e oneram os cofres públicos com aposentadorias precoces, assistências em saúde e famílias destroçadas. E tb. poluem o meio-ambiente. Meu apoio a iniciativa, e pela substituição por shows de luzes, a laser e por drones. Eu aprovei na Câmara Municipal de Porto Alegre/RS a cassação dos licenciamentos – Alvarás – para a comercialização de fogos de artificio na cidade. Lei 2193/2017

Sônia

Não sei porque ser polêmico, ele apenas está evoluindo como pessoa….e nós tbm devemos evoluir, se os estudos provam que o barulho é prejudicial, para idosos, crianças, crianças especiais faz mais mal ainda, animais…e sem contar que é um dinheiro inútil….tem fogos sem estouros…apenas alegóricos…taí a opção!