Velório de Eduardo Campos deve ocorrer no sábado e será aberto à população pernambucana

Candidato à presidência pelo PSB morreu em acidente aéreo que vitimou outras seis pessoas, quatro de sua equipe de campanha e dois tripulantes

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A previsão dada à família do presidenciável Eduardo Campos (PSB), morto aos 49 anos em acidente aéreo que vitimou outras seis pessoas na manhã da última quarta-feira (14/8), é que os restos mortais cheguem em Recife (PE) nessa sexta-feira (15), para ser velado no Palácio Campo das Princesas, sede do governo pernambucano. A escolha do local se deu após pedido da viúva do político, Renata Campos, orientada pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, para que junto com o velório seja realizada uma missa campal.

No palácio, a população também poderá dar adeus a Campos, que governou o Estado de 2006 a meados de 2014, quando se desincompatibilizou para ser candidato à presidência da República. A informação quanto à definição do local da despedida do pessebista foi repassada à imprensa pelo prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), que esteve reunido com a família do político pela manhã.

O corpo de Eduardo Campos será enterrado no Cemitério de Santo Amaro, no túmulo da família Arraes, onde está o corpo de seu avô Miguel Arraes, também ex-governador de Pernambuco, que faleceu na mesma data que o neto, há 9 anos. O avião, um Cessna 560XL, caiu em Santos, litoral paulista.

A tragédia

A cabine do avião foi localizada na madrugada desta quinta-feira pelo Corpo de Bombeiros. No interior, restos mortais dos cinco passageiros e dos dois tripulantes foram visualizadas pelas equipes de resgate. A carteira de Eduardo Campos, com documentos, e outros objetos pessoais foram encontrados por volta das 5h.

Além do presidenciável, a bordo da aeronave estavam o fotógrafo Alexandre Severo Silva, o assessor Carlos Augusto Leal Filho, Pedro Valadares, o cinegrafista Marcelo de Oliveira Lyra e os tripulantes Geraldo Magela Barbosa da Cunha e Marcos Martins.

Nesta manhã, os trabalhos devem se concentrar na retirada da cabine da aeronave, que ficou enterrada a cerca de 4 metros de profundidade, sendo que não há ainda previsão para a conclusão dos trabalhos dos bombeiros.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Mario Borges

Em março passado, num encontro com empresários do Paraná, Lula atacou Eduardo Campos com uma baixaria digna do seu mau-caratismo que sempre orienta os assassinatos de reputações cometidos pela militância petista. Lula, em certo momento, comparou o pré-candidato de oposição Eduardo Campos (PSB) ao ex-presidente Fernando Collor de Mello. Ao defender a necessidade de manter as políticas de governo por mais quatro anos, e sobre como seria ruim haver uma interrupção do governo Dilma, declarou: “A minha grande preocupação é repetir o que aconteceu em 1989: que venha um desconhecido, que se apresente muito bem, jovem e nós vimos o… Leia mais