Um levantamento produzido pelo jornal Estadão revelou quais são os 10 políticos mais ricos do Brasil. Em primeiro lugar, o empresário herdeiro do grupo Votoratim acumula uma fortuna de R$ 1,2 bilhão, mas o valor não foi suficiente para elegê-lo segundo suplente em 2022, na chapa do ex-governador Marconi Perillo.

O levantamento considerou candidatos nas eleições de 2020 e 2022. De acordo com a legislação eleitoral, todos os que pleiteiam um cargo público devem declarar seus bens à Justiça Eleitoral. Os dados são públicos e podem ser acessados por qualquer cidadão através do Divulgacandcontas.tse.

1. Marcos Ermírio de Moraes (PSDB) – R$ 1.267.950.846,18

Marcos Ermírio de Moraes, herdeiro do grupo Votorantim, é o único bilionário da lista, com uma fortuna de R$ 1,2 bilhão. Ele se filiou ao PSDB em maio de 2022 e concorreu como 2º suplente ao Senado por Goiás, mas não foi eleito. Moraes é também um entusiasta de esportes radicais e organizador do Rally dos Sertões por mais de 20 anos.

2. Paulo Octávio Alves Pereira (PSD) – R$ 618.868.227,00

Empresário da construção civil e ex-deputado federal, Paulo Octávio é o segundo mais rico com R$ 618 milhões. Ele concorreu ao governo do Distrito Federal em 2022, ficando em terceiro lugar. Casado com a neta do ex-presidente Juscelino Kubitschek, enfrentou acusações de corrupção, mas foi absolvido por falta de provas.

3. Luiz Osvaldo Pastore (MDB) – R$ 453.595.515,70

Luiz Osvaldo Pastore, empresário e político, possui uma fortuna de R$ 453 milhões. Ele tentou se eleger como 1º suplente ao Senado pelo Distrito Federal em 2022, sem sucesso. Já foi suplente de senador pelo Espírito Santo e também concorreu ao Senado na Itália.

4. Ailson Souto da Trindade (PP) – R$ 448.447.364,52

Ailson Souto da Trindade, empresário que mudou de eletrônicos para o setor imobiliário, declarou um patrimônio de R$ 448 milhões. Ele concorreu como deputado estadual pelo Pará em 2022, ficando na suplência. Seu nome apareceu em investigações de propinas no Ministério da Educação.

5. Antídio Aleixo Lunelli (MDB) – R$ 390.033.568,89

Antídio Lunelli, empresário da indústria têxtil e ex-prefeito de Jaraguá do Sul (SC), foi eleito deputado estadual em 2022. Sua fortuna de R$ 390 milhões é majoritariamente composta por ativos financeiros. Ele considera candidatar-se ao governo estadual ou ao Senado em 2026.

6. Otaviano Olavo Pivetta (Republicanos) – R$ 378.869.597,56

Otaviano Pivetta, vice-governador reeleito de Mato Grosso, possui um patrimônio de quase R$ 379 milhões. Produtor agropecuário e ex-prefeito de Lucas do Rio Verde (MT), Pivetta foi acusado de agressão pela ex-esposa, mas nega as acusações.

7. Roberto Argenta (PSC) – R$ 372.943.176,46

Dono da Calçados Beira Rio, Roberto Argenta tentou o governo do Rio Grande do Sul em 2022, ficando em quarto lugar. Com uma fortuna de R$ 372 milhões, a maior parte de seu patrimônio está em participações empresariais.

8. Vittorio Medioli (PSD) – R$ 351.724.386,81

Vittorio Medioli, prefeito de Betim (MG) e empresário, possui um patrimônio de R$ 351 milhões. Fundador do grupo Sada, que inclui empresas de transporte e biocombustíveis, ele desistiu de concorrer ao governo de Minas Gerais em 2022.

9. João Gonçalves Filho (PSDB) – R$ 351.588.736,22

Dono de frigoríficos e empresas do setor alimentício, João Gonçalves Filho tem um patrimônio de R$ 351 milhões. Tentou se eleger 2º suplente ao Senado por Rondônia em 2022, mas não teve sucesso. Sua família é ativa na política local.

10. Teobaldo Luís da Costa (DEM) – R$ 341.286.567,60

Teobaldo Luís da Costa, dono da rede Atakadão Atakarejo, tentou ser prefeito de Lauro de Freitas (BA) em 2020, sem sucesso. Ele possui R$ 341 milhões, majoritariamente em cotas de capitais de empresas familiares.

Leia também:

Prefeitura de Goiânia faz audiência pública para discutir Plano Diretor de Drenagem Urbana

Toffoli discursa contra criminalização do usuário, mas mantém entendimento que Lei penaliza consumidor