Vanderlan utiliza tempo de entrevista na TV para apresentar propostas

Dentre os candidatos, o postulante do PSB preferiu não entrar no mérito de disputas políticas e divulgou projetos de seu plano de governo

Em série de entrevistas para a TV aberta, os candidatos à Prefeitura de Goiânia tiveram que ter foco e objetividade para conseguir apresentar propostas reais ao telespectador.

Neste aspecto, Vanderlan Cardoso foi o candidato que se saiu melhor frente aos outros concorrentes, ao se mostrar sereno com as perguntas e objetivo ao responder a todos os questionamentos, focado em suas propostas de governo para a capital, sem entrar em disputas pessoais.

Durante toda a semana, a TV Anhanguera, afiliada Rede Globo em Goiás, tem apresentado na edição do horário do almoço uma série de entrevistas com os candidatos à Prefeitura de Goiânia. Desde segunda-feira (19/9), passaram pelo programa os quatro candidatos que aparecem com mais de 5% das intenções de votos, segundo a última pesquisa Ibope, divulgada pela emissora no último dia 16.

Nesta ordem, a jornalista Lilian Lynch entrevistou a candidata Adriana Accorsi (PT), Iris Rezende (PMDB), Delegado Waldir (PR) e Vanderlan Cardoso. Nesta sexta-feira (23/9), será a vez dos candidatos Francisco Jr. (PSD), Djalma Araújo (Rede) e Flávio Sofiati (PSOL) .

O candidato do PMDB em sua entrevista, utilizou boa parte do tempo de entrevista para defender que não pretende deixar a prefeitura para se candidatar a outro cargo em 2018, como fez da última vez em que ocupou a chefia do executivo municipal. Outros pontos abordados pelo candidato foram a escolha de seu candidato a vice, o deputado estadual Major Araújo (PRP) e ainda feitos de sua última gestão na capital, principalmente na área do transporte público.

Quando perguntado sobre suas propostas para o transporte caso seja eleito, o ex-prefeito afirmou que fará o mesmo que fez em sua gestão anterior. “Vou fazer o que eu fiz: as empresas que não estiverem correspondendo, nós vamos substituir, abrir licitação, criar novas linhas. Vamos criar alternativas de bairro para bairro”.

O candidato do PMDB, Iris Rezende, que se irritou por duas vezes com a apresentadora Lilian Lynch e chegou dizer que ela “era menina” quando foi prefeito, em 2004. O ex-prefeito se exaltou a ponto de não conseguir explicar sobre os problemas do transporte coletivo, que prometeu e não resolveu no último mandato na prefeitura.

 

O transporte também foi tema da entrevista de Vanderlan, que apresentou projeto para rever o modo como a tarifa é cobrada na capital. “A maneira que faz a tarifa, ela não é bem clara. Algumas coisas são jogadas no custo da tarifa, das planilhas, que não é bem dialogado, não é bem conversado. O prefeito ele não pode deixar a responsabilidade jogar para cima das empresas. Ele tem que liderar, porque até mesmo quem nomeia o presidente da CMTC é o prefeito”, disse o candidato do PSB.

 

 

 

 

 

“A administração em Goiânia será tão boa quanto foi em Senador Canedo, onde executamos 1.215 obras, inclusive muitas que não estavam no plano de governo. Fizemos além do que foi prometido e também vamos fazer aqui na capital”, disse Vanderlan ao ser perguntado sobre algumas promessas que não teria cumprido no município vizinho.

O candidato do PSB afirmou que, com o orçamento atual, a prefeitura tem condições de tocar projetos em todas as áreas, inclusive para a contratação dos médicos que faltam nas unidades e no PSF (Programa de Saúde da Família). “O que precisa é ter gestão, planejamento e comprometimento, pagar um salário justo para esses médicos e os profissionais de saúde de forma geral”.

O dinheiro, de acordo com o candidato, vem dos 15% que o município tem de investir na saúde e da contrapartida do SUS. “Eu encarei e vou encarar a saúde com investimento e não como despesa, ao contrário de alguns gestores, como o atual, que encara como despesa”. O candidato frisou que em saúde, quanto mais se investe, mais dinheiro vem nas contrapartidas.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.