“Valoriza o homem do campo e garante condições de produção”, diz prefeita de Porangatu sobre ampliação do Projeto da Cerveja de Mandioca

Governador Ronaldo Caiado anuncia, em Porangatu, ampliação do projeto, que conta com parceria da Ambev para fomentar o desenvolvimento regional e a produção de agricultores familiares

A prefeita de Porangatu, Vanuza Valadares (Podemos), destacou a expectativa em relação ao anúncio feito pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), nesta quinta-feira, com atualização e ampliação do Projeto Cerveja de Mandioca, durante solenidade realizada no Sindicato Rural do município.

Para Vanuza Valadares, o projeto representa o compromisso do estado com o município. “Com esse projeto o governo facilita e valoriza o trabalho dos pequenos produtores, possibilitando a produção e comercialização. Valorizando o homem do campo, dando condições para que ele possa ter recurso para produzir e gerar renda para sua família”.

O programa, lançado pelo Governo de Goiás em 2020, está presente em 24 municípios e já beneficiou mais de mil pessoas. Entre elas, pequenos agricultores familiares, colhedores e fretistas. “Hoje em Porangatu, nós temos um contrato da Ambev com o pequeno agricultor, para que ele possa vender a mandioca para a cervejaria”, afirmou Caiado. Segundo ele, a iniciativa visa reduzir as desigualdades sociais e promover o avanço econômico em todas as regiões do Estado ao conectar produtores rurais e compradores.

Até o momento, a empresa já adquiriu 1.202 toneladas do produto, de produtores rurais de 24 municípios goianos. A expectativa é de que sejam comercializadas 7 mil toneladas de mandioca, ainda em 2021, para a produção da cerveja.

Já foram adquiridas mandiocas de produtores que residem em Cavalcante, Flores de Goiás, Posse, Buritinópolis, Itaberaí, Monte Alegre, Formosa, Paranaiguara, Caçu, Bela Vista, Sítio D’abadia, Damianópolis, Campos Belos, Nova Crixás, Araguapaz, Niquelândia, Ipameri, Colinas do Sul, Itaguaçu, Mundo Novo, Uirapuru, Guarani de Goiás e Minaçu, além de Porangatu. Também foram comercializadas produções dos assentamentos de Gameleira, Nova Grécia, Rio Bonito, Che, José Marti, Santa Marta, Angico; do quilombo em Vão das Almas; e de cooperativas em Minaçu e Uirapuru.

O projeto é desenvolvido pela Secretaria de Estado da Retomada (SER), em parceria com a Secretaria de Estado da de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e Gabinete de Políticas Sociais (GPS). A iniciativa conta ainda com o apoio da GoiásFomento, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar Goiás), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Goiás (Sebrae Goiás) e da Prefeitura de Porangatu.

Desenvolvimento regional
Segundo o secretário de Estado da Retomada, César Moura, o programa gera renda, dignidade e desenvolvimento econômico local. “Os primeiros números do balanço parcial do Projeto da Cerveja Regional de Mandioca demonstram que estamos no caminho certo, mas também indicam que temos muito a conquistar. Nosso principal desafio agora é ter pelo menos um agricultor familiar de cada município goiano fornecendo mandioca para produção de cerveja”, comentou.

Já o titular de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Tiago Mendonça, destacou que o Governo de Goiás tem trabalhado em políticas públicas que beneficiam os pequenos produtores goianos e o projeto Cerveja de Mandioca é uma das iniciativas que traz resultados positivos no Estado. “Inicialmente efetivada no Nordeste goiano, a ação foi expandida para todo o Estado. Estamos, juntamente com nossa jurisdicionada Emater, trabalhando para levar melhorias em pesquisa, capacitação e apoio técnico aos agricultores familiares”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.