Valor de cesta básica em Goiânia diminui R$ 7,40 no mês de junho, segundo Segplan

A inflação sofreu queda de 0,64% no último mês, saindo de 0,79% em maio para 0,15% no mês de junho. O acumulado do ano, entretanto, continua mais alto em comparação com a taxa do mesmo período de 2013, de 4,28% contra 3,55%

O Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos da Secretaria de Gestão e Planejamento (IMB/Segplan) aponta redução de 2,54% no custo da cesta básica no mês de junho, que fechou em R$ 253,71, comparado com maio, que foi R$ 260,31. Dentre os 12 itens que compõem a cesta básica, o IMB explica que as maiores baixas de preços em relação a maio se deram nas frutas (-8,25%), feijão (-5,66%), legumes/tubérculos (-4,86%), óleo (-3,46%) e açúcar (-2,61%).

A inflação sofreu queda de 0,64% no último mês, saindo de 0,79% em maio para 0,15% no mês de junho. O acumulado do ano, entretanto, continua mais alto em comparação com a taxa do mesmo período de 2013, de 4,28% contra 3,55%.

De junho de 2013 a junho de 2014, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Goiânia ficou em 6,68%, abaixo dos 12 meses imediatamente anteriores (9,09%). Em junho de 2013, a taxa havia sido de -0,09%. Segundo os pesquisadores do IMB, a queda do IPC na capital se deu principalmente em função da redução dos preços dos alimentos, levando o grupo dos alimentos a ter a maior queda de preços entre os grupos de despesa pesquisados (o índice caiu de 0,48% em maio para -1,00% em junho).

As despesas com vestuário (3,16%) e artigos residenciais (1,73%) tiveram forte influência na manutenção positiva do índice no período. Os maiores reajustes foram verificados nos itens roupas (2,87%) e aparelhos de TV, som e informática (4,53%).

Vários alimentos consumidos em casa se destacaram pela queda de preços, sendo os principais o feijão carioca (recuo de -8,13%), tomate (-18,32%), batata inglesa (-14,16%), laranja pera (-14,09%), óleo de soja (-3,46%) e açúcar (-2,61%). Com isso, o subgrupo de alimentação no domicílio apresentou queda de 1,70%. Já a alimentação feita fora de casa registrou elevação de 0,91%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.