OMS alerta que demanda de vacinas cobrirá apenas populações de risco e profissionais da saúde em 2021.

De acordo com cientista da OMS, para população mundial atingir imunidade de rebanho, 5 bilhões de pessoas precisam ser vacinadas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu um alerta hoje, 14, afirmando que a maior parte da população mundial deverá esperar até 2022 para receber a vacinação contra a Covid-19. Segundo a organização, o mundo não terá condições de atender a demanda necessária de produção de vacinas até o ano que vem.

A entidade destaca que os primeiros lotes de produção devem se destinar a populações de risco, idosos e profissionais da área de saúde. Juntos, esse grupo não soma 20% da população global, estimada atualmente em 7,7 bilhões de pessoas.

De acordo com o portal UOL, o recado passado pela OMS nesta quarta-feira, 14,  visa frear discursos de alguns governos, que começam a desestimular as medidas de proteção para as suas populações, devido a proximidade da vacina. A expectativa da OMS é de que até o início de 2021, já se tenham resultados positivos entre os testes relacionados à vacina.

Contudo, até o final do ano seguinte, a maior campanha de vacinação da história deve atingir dois bilhões de pessoas, o que não alcança nem um terço da população mundial. Segundo Soumya Swaminathan, cientista-chefe da OMS, é necessário que se tenha 70% da população mundial (cerca de 5 bilhões de pessoas) protegida para atingir um nível de imunidade de rebanho.

No Brasil, os dados mais recentes levantados pelo consórcio de imprensa apontam um total de 151.161 óbitos e 5.117.825 diagnósticos registrados de Covid-19. Em Goiás, mais de 200 mil casos já foram registrados , tendo 5.261 óbitos confirmados.