Vacinação evitou a morte de mais de 40 mil idosos, diz pesquisa da Ufpel e Harvard

Segundo dados coletados entre 3 de janeiro e 27 de maio de 2021, óbitos por coronavírus em pessoas com mais de 80 anos caíram de 28% para 12%, e de 28% para 16% a partir dos 70 anos

Mais de 40 mil mortes de idosos por Covid-19 foram poupadas com a vacinação, diz pesquisa | Foto: Prefeitura de Goiânia

Resultados de pesquisa mostram que vacinação contra Covid-1 já poupou mais de 40 mil mortes de idosos pela doença no Brasil. Estudo foi realizado pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), em parceria com a Universidade de Havard, dos Estados Unidos, e o Ministério da Saúde. As estimativas da pesquisa realizada entre 3 de janeiro e 27 de maio de 2021 foram divulgadas nesta quinta-feira, 17.

De acordo com a pesquisa, desde o início da vacinação, o percentual de mortos de idosos, em relação ao total de mortes pelo coronavírus, caiu de 28% para 12% em pessoas com mais de 80 anos, e de 28% para 16% a partir dos 70 anos.

Durante o intervalo de tempo em que os dados foram coletados, de janeiro a maio deste ano, o país registrou mais de 238 mil óbitos pela Covid-19, entre todas as idades. De modo geral, esse número se mostra expressivo, especialmente a partir de fevereiro, em decorrência da rápida disseminação da variante identificada em Manaus.

No entanto, com o estudo, os pesquisadores estimam que o avanço da vacinação – iniciada em janeiro, no Brasil – tenha sido responsável pela prevenção de mais de 40 mil mortes em idosos. Isso, porque a tendencia esperada, caso o número de mortes dos idosos seguisse o de jovens, era de 70.015 óbitos de pessoas com mais de 80 anos e 20.238 a partir dos 70 anos. Contudo, os números registrados permaneceram na faixa de 37.401 óbitos em pessoas com mais de 80 anos e 13.838 acima dos 70.

Assim, embora a variante de Manaus tenha levado ao aumento de mortes por Covid-19 em todas as idades, o epidemiologista e líder do estudo, Cesar Victora, da Ufpel, explica que a proporção de óbitos entre os idosos caiu rapidamente a partir da segunda quinzena de fevereiro. “Até então, essa proporção tinha se mantido estável em torno de 25% a 30% desde o início da epidemia, mas  agora se encontra abaixo de 13%”, completa Cesar.

“A principal contribuição de nosso estudo é fornecer evidências sobre a efetividade do programa de vacinação no Brasil como um todo, em um cenário onde a variante gama atualmente predomina, confirmando os achados de estudos anteriores realizados em grupos populacionais mais restritos. Como o distanciamento social e uso de máscara estão sendo adotados de forma limitada na maior parte do país, o rápido aumento da vacinação permanece como a abordagem mais promissora para controlar a pandemia em um país onde quase 500 mil vidas já foram perdidas para a COVID-19”, conclui o líder da pesquisa.

Imunização de idosos em Goiânia

Até essa sexta-feira, 18, mais de 150 mil idosos (150.548) já foram completamente imunizados contra a Covid-19 na capital goiana. Dos que receberam a primeira dose da vacina, 206.291 foram idosos. Entre eles, pessoas com mais de 60 anos, idosos acamados e institucionalizados. Com mais de 722,3 mil doses aplicadas em Goiânia, 29,2% da população goianiense já recebeu a primeira etapa da imunização e 14,1% foi vacinada com o reforço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.