Jovem tem dupla nacionalidade e tentou entrar no local com outras mulheres como forma de protesto à proibição, relatou a Anistia Internacional

Ghoncheh Ghavam foi presa em junho com outras mulheres | Foto: Reprodução/Facebook
Ghoncheh Ghavam foi presa em junho com outras mulheres | Foto: Reprodução/Facebook

Uma estudante com nacionalidades do Irã e da Inglaterra está presa há mais de quatro meses por tentar assistir uma partida de voleibol masculino no Teerã, capital do Irã. Ghoncheh Ghavami, de 25 anos, é aluna de graduação na Universtiy of London e foi detida em 20 de junho. A polícia disse que ela é culpada por fazer propaganda contra o governo iraniano. Mulheres são proibidas de entrar em partidas jogadas exclusivamente por homens no País.

A universitária tentou ver o jogo entre Irã e Itália com outras mulheres como forma de protesto contra a proibição, segundo a Anistia Internacional. Na época, o grupo foi mantido na cadeia por algumas horas. No entanto, a jovem voltou às celas após ir à delegacia pegar os pertences pessoais. Com isso, começou a ser interrogada por guardas, que notaram seu passaporte britânico.

A família procura detalhes sobre o julgamento — o dia 18 de setembro os parentes denunciaram a prisão arbitrária, sem que nenhuma acusação fosse feita contra ela. Um irmão de Ghoncheh Ghavami informou à imprensa que não teve acesso ao advogado que a defendeu.

O Reino Unido se pronunciou sobre o caso, dizendo estar “preocupado” com o tratamento dado a jovem.