Universidade dos EUA projeta 893 mortes por Covid-19 em Goiás até início de agosto

Estudo da Universidade de Washington cruza informações como o índice de isolamento social e a capacidade da rede hospitalar

No dia em que Goiás ultrapassou a simbólica marca de 100 mortes pela Covid-19, chegando a 101 nesta terça-feira, 26, um estudo da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, faz uma projeção preocupante para o Estado. Segundo a previsão do Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde (IHME, na sigla em inglês), até o dia 4 de agosto serão 893 óbitos decorrentes da infecção pelo coronavírus Sars-CoV-2, o causador da doença.

Para chegar aos números, a instituição cruza informações sobre o distanciamento social, os deslocamentos urbanos e a capacidade da rede hospitalar em dar atendimento aos doentes. Com esses dados, a estimativa da universidade norte-americada é de que a taxa de mortes por 100 mil habitantes em Goiás, que hoje está em 1,44, chegará a 12,99, no início de agosto.

A Universidade de Washington prevê, ainda, que o número de mortos no Brasil pela Covid-19 chegará a 125 mil na primeira semana de agosto. Até a tarde desta terça-feira, eram 23,5 mil. O diretor do IHME, Cristopher Murray, recomendou ao Brasil a adoção de medidas mais drásticas para combater o avanço da epidemia, como o lockdown.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.