Um dia após Brasil registrar 4,2 mil mortes pela Covid-19, Bolsonaro diz que ‘não vai ter lockdown’

Medidas restritivas de circulação de pessoas têm sido defendidas por autoridades sanitárias para enfrentar a pandemia no país

Presidente Jair Bolsonaro | Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar a adoção de medidas restritivas para tentar frear o avanço da Covid-19 no Brasil e disse que não haverá um lockdown nacional. Fala veio durante visita a cidade de Chapecó, um dia após o Brasil registrar a marca de 4,2 mil mortes pela Covid-19. O país vive o maior pico e responde hoje por um em cada três mortos pelo novo coronavírus no mundo.

Bolsonaro voltou a defender o chamado “tratamento precoce”, com o uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a doença e que, segundo a Associação Médica Brasileira, deveriam ter seu uso contra a Covid banido.

O gestor  aproveitou para elogiar o município de Chapecó, no Sul do Brasil. “Exemplo a ser seguido, por isso estou indo para lá. Para exatamente não só ver, mas mostrar a todo o Brasil que o vírus é grave, mas seus efeitos têm como ser combatidos. Mais ainda, naquele município, com toda certeza em mais [cidades], em alguns estados também, o médico tem a liberdade total para trabalhar com o paciente, total. Esse é dever do médico, uma obrigação e direito dele”, disse o presidente em evento no início da semana, em que anunciou a viagem a Santa Catarina. (Com informações do portal G1).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.