TSE irá veicular propagandas em combate às fake news

“Se for fake news, não transmita” é nova campanha da Justiça Eleitoral com intuito de reduzir impactos da desinformação sobre as eleições de 2020

Fake news e ataques na internet podem atrapalhar eleições municipais |Foto: Jefferson Rudy /Agência Senado Fonte: Agência Câmara de Notícias

Uma nova campanha do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) irá ao ar em emissoras de televisão e rádio, e também nas redes sociais do TSE na internet, com objetivo de falar dos impactos negativos na sociedade ao se disseminar notícias falsas.

A “Se for fake news, não transmita”, contará com a participação do biólogo Átila Iamarino, que ficou conhecido por divulgar conteúdos científicos nas redes sociais, e em especial tem atuado para desmentir informações falsas sobre a Covid-19.

“Agora, durante a pandemia da Covid-19, foi divulgada, no Irã, uma informação falsa de que o consumo de metanol evitaria a doença. Mais de mil pessoas morreram no país pelo consumo de metanol”, relatou Átila durante live da série “Diálogos Democráticos”, que também contou com a presença do presidente do TSE, Luís Roberto Barroso.

O combate às fake news tem sido um dos motes da gestão de Barroso, que acredita que Justiça Eleitoral tem papel fundamental na garantia da democracia no país e na participação em campanhas contra a desinformação.

Entretanto, para o presidente, apesar do papel fundamental da Justiça Eleitoral nesse combate, ele também reconhece que é apenas um pequeno pedaço de um conjunto maior, já que o TSE também não pretende assumir um papel de censurar a liberdade de expressão da população.

A campanha contra as fake news existe desde agosto de 2019, com o Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020 e conta com a parceria de 49 instituições (partidos, entidades públicas e privadas, associações de imprensa, plataformas de mídias sociais, serviços de mensagens e agências de checagem), comprometidas em, juntos com a Justiça Eleitoral, reduzir os impactos das fake news no processo eleitoral brasileiro.

Também por meio do “Desinformação”, plataforma digital, é possível checar fake news divulgadas durante as Eleições Gerais de 2018. Ainda, o Núcleo de Rádio e TV da Assessoria de Comunicação do Tribunal produz vídeos explicativos sobre o tema com acesso liberado para toda população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.